Animais

As 20 raças de gato mais caras do mundo!

por

Senhor Gato

Publicado em

Gatos são animais únicos, e se você chegou até aqui é porque certamente gosta desses bichanos!

Mas, dependendo da raça, eles podem ser bem caros de se adquirir. O Senhor Panda listou aqui as raças mais caras atualmente e a faixa de preço que você deve esperar.

ANÚNCIOS

20 – Ocicat

Preço estimado: Cerca de R$3000

O Ocicat é uma raça recente (originada por volta dos anos 60) cujo nome deriva da sua semelhança com o Ocelot selvagem, embora não tenha um DNA de gato selvagem.

19 – Norueguês da Floresta (Norwegian Forest Cat)

  Preço estimado: R$1800 – R$3000   Um nativo do norte da Europa, essa raça também é chamada de Skogkatt ou Gato da Floresta na Noruega. Com pelo comprido, e um “casaco” de lã, o Gato Norueguês da floresta é adaptado a climas frios.  

18 – Mau Egípcio (Egyptian Mau)

Preço estimado: R$1800 – R$3000

Esse gato de aparência exótica é também conhecido por ser extremamente inteligente e fiel. O Mau Egípcio tem uma postura de chita e sua natureza extrovertida fazem dele um ótimo companheiro.

17 – Siamês (Siamese)

Preço estimado: R$800 – R$3000

Originado da Tailândia (anteriormente chamado de Siam) e exportado durante o final do seculo 19, esses gatos elegantes se tornaram favoritos na América e na Europa, aparecendo em muitas exposições de gatos.

16 – Korat

Preço estimado: R$2200 – R$3000

A cor deste gato único é descrita como azul prateado que lhe dá um brilho cintilante e uma aparência semelhante a um halo. O Korat encontra sua origem na província de Korat, na Tailândia, e possui poderes especialmente sensíveis de cheiro e visão.

15 – Selkirk Rex

Preço estimado: R$1900 – R$3000

Uma das mais novas raças de gatos, o Selkirk Rex foi o resultado da criação de um gato doméstico com um gato persa negro. O pelo encaracolado neste exemplo é um resultado de um gene dominante: os gatinhos desta raça nascidos na mesma ninhada têm a mesma probabilidade de ter pelos lisos.

14 – Siberiano (Siberian)

Preço estimado: R$2600 – R$3300

Este gato doméstico de cauda espessa tem sido criado na Rússia há séculos. Hoje em dia, a raça siberiana tem aparecido em muitos contos de fadas russos e livros infantis.

13 – Gato de pelo curto americano (American Shorthair)

Preço estimado: R$1500 – R$3300

Conhecido por sua longevidade e constituição robusta, o American Shorthair tem suas origens nos gatos europeus trazidos para a América do Norte pelos primeiros colonos para proteger suas cargas de ratos.

12 – Gato de pelo curto inglês (British Shorthair)

Preço estimado: R$3000 – R$3700

Os British Shorthairs são conhecidos pelo seu denso pelo, rosto largo e corpo poderoso. A raça foi desenvolvida em uma ampla gama de cores, mas a tonalidade mais comum continua sendo o “British Blue”, um sólido azul-cinza.

11 – American Wirehair

Preço estimado: R$3700 – R$4400

Uma raça americana única, acredita-se que este gato seja o resultado de mutação espontânea em uma ninhada de gatos de fazenda de estado de Nova Iorque em 1966. Considerado uma raça rara, só 22 de tais gatos foram registrados a partir de 2003.

10 – Ragdoll

Preço estimado: R$3000 – R$4000

A cabeça em forma de V desta raça foi desenvolvida pela primeira vez por um criador chamado Ann Baker em Riverside, Califórnia, EUA, na década de 1960. Este gato é conhecido por seu temperamento suave e dócil.

9 – American Curl

Preço estimado: R$3000 – R$4400

Uma das raças mais jovens atualmente, o American Curl se distingue por suas orelhas curvadas para trás. Os primeiros American Curls apareceram como gatos vadios na porta de um casal americano em Lakewood, Califórnia, em junho de 1981: acredita-se que a raça venha de uma mutação espontânea.

8 – Sphynx

Preço estimado: R$3300 – R$4400

Esta raça sem pelo foi produzida pela primeira vez através de reprodução seletiva na década de 1960. A pele tem textura de camurça, com pouquíssimo ou quase nenhum pelo. Também podem apresentar bigodes pequenos, quebrados ou totalmente ausentes.

7 – Scottish Fold

Preço estimado: R$3000 – R$5500

Os Scottish Fold Cats tem como ancestral um gato branco chamado Susie que tinha orelhas dobradas um tanto incomuns. O gato havia sido encontrado em um celeiro na região de Tayside, na Escócia, em 1961 por um pastor chamado William Ross, que mais tarde o criou.

6 – Russian Blue

Preço estimado: R$3700 – R$6200

Famosa por sua pelagem azulada, acredita-se que o gato azul russo tenha se originado na cidade portuária russa de Arkhangelsk. A raça provavelmente viajou para a Europa, especificamente para a Grã-Bretanha, em veleiros no século XIX.

5 – Peterbald

Estimated Price: R$6.200 – R$11.000

Uma nova raça da Rússia, o Peterbald é um gato sem pelos que foi criado em 1994 como resultado do acasalamento experimental de um macho Don Hairless e uma fêmea Oriental Shorthair em São Petersburgo. A raça é conhecida por seu temperamento brando e por ser inteligente e energética.

4 – Persa (Persian)

Preço estimado: Cerca de  R$11.000

Originária da Pérsia, a raça é referenciada em escritos datados de 1684 a.C. Eles são conhecidos por seus longos pelos soltos e personalidade doce e gentil.

3 – Gato-de-bengala (Bengal)

Preço estimado: R$11.000 – R$18.000

Com uma grande semelhança com um leopardo asiático – um pequeno felino selvagem, não o grande predador nativo da África -, esse felino marrom foi desenvolvido nos Estados Unidos em 1963, quando gatos leopardos foram cruzados com gatos domésticos.

2 – Savannah

Preço estimado: Cerca de R$90.000

Caracterizado por pernas excepcionalmente longas, o gato Savannah é um cruzamento entre um gato africano selvagem médio e um gato doméstico. Cores comuns são preto sólido, preto esfumaçado e malhado.

1 – Ashera

Preço estimado: R$275.000 – R$460.000

Um Ashera é um híbrido de genes de vários gatos, supostamente um cruzamento entre um gato doméstico, o gato Leopardo Asiático e o Serval africano. Criada pela Lifestyle Pets Company, a raça tem padrões semelhantes aos de um leopardo da neve e é vendida por até US$ 125 mil.

Animais

10 dicas de ouro de como cuidar de um filhote de gato

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Imagine a cena, você sempre quis adotar um gato; então você vai até o centro de adoção mais próximo, e chegando lá, o que vê? Filhotes! Pronto, agora sua dificuldade é apenas escolher qual daquelas bolotas de pelos vai ser o mais novo morador de sua casa.

O que muita gente não sabe, porém, é que criar um gatinho é bem mais do que só ensinar a fazer xixi na areia, e tomar cuidado pra ele não cair no vão do sofá.

Pense comigo: você conhece o calendário de vacinas felinas sabe qual a ração correta? Sabe quando seu amiguinho vai trocar os pelos e os dentes?

Falando assim, parece muita coisa. Porém, são detalhes que, com dedicação, você aprende rapidinho. E depois, seu gato vai crescer tão rápido, que ensinar tudo de novo, vai até dar saudades. Confira!

10. Como montar o espaço do seu filhote de gato?

O filhote de gato é, como todo filhote, uma coisinha inocente, e cheia de curiosidade sobre o mundo. Então, ele vai chegar à sua casa, ávido para descobrir sobre tudo quanto for possível.

Pense só: ele não sabe que as lâmpadas queimam, não sabe que vasos caem no chão e quebram, não sabem que sua almofada de seda não serve para ser mordida...

É um mundo novo para ele. Então, você precisa preparar o espaço para seu filhote de gato e, principalmente, ficar próximo do gatinho, para ele não se machucar.

Colocar telas nas janelas, afastar plantas (e não ter nenhuma venenosa), também é primordial. Criar “esconderijos” e “desafios” com caixas e tábuas de arranhar também fará muito bem ao seu filhote.

Por outro lado, ter brinquedos e arranhadores diversificados vai ajudar seu filhote a desenvolver autonomia, autoconhecimento e confiança.

Autoconhecimento, no caso, é ele saber e entender logo seus limites físicos, suas habilidades, e suas preferências. E claro, ter a caixinha (ou as caixinhas) de areia em lugares estratégicos e de fácil acesso.

09. Ensinando seu filhote de gato a fazer xixi

Justamente por ser um filhote, seu gatinho são saberá o que é fazer xixi ou cocô na areia. Se ele for um pouco mais velho, provavelmente terá visto a mãe fazendo, e, assim, já terá alguma noção.

Mas se o filhote for bem jovem, quem vai ensinar é você. Então, algumas dicas são essenciais.

A primeira é ter pelo menos duas caixas de areia, para seu gato. Às vezes, o gato faz xixi num canto e cocô no outro, então, é importante você considerar isso, no treinamento. E ainda, ter as caixas sempre limpas.

A segunda dica é limitar o acesso do seu gato. Se ele já souber desde pequeno, onde não pode ir, isso vai facilitar na hora de ele escolher onde fará suas necessidades.

Outras coisas, como limpar os dejetos na mesma hora – para o gato não conseguir sentir seu cheiro de novo, e então não achar que pode fazer cocô ali sempre –, e colocar estratos ou folhas secas de plantas que seu gato não gosta, no local, podem ajudar.

Mas a primeira regra: incentive o uso da caixa de areia.

08. Os dentes e as unhas do filhote de gatos

Muita gente não sabe, mas gatos também têm dentes de leite. Eles caem ao longo do primeiro ano de vida dos filhotes, mesmo assim, eles devem ser escovados.

Para isso, procure uma escova e uma pasta própria para pets na loja especializada de sua confiança.

Já em relação às unhas, elas devem ser cuidadas para não encravar e não crescer demais. Arranhadores ajudam a desgastar as unhas velhas, mas limpar, lixar e cortar é importante, para manter a higiene do bichano.

Condicionar seu gato a esses rituais, desde a infância deles, é importante, para que eles cresçam adultos saudáveis, e não estranhem você fazendo os atos de limpeza.

Para mais dicas sobre as unhas dos gatos, acesse nosso artigo exclusivo sobre essa parte do corpo dos felinos.

07. A dieta do filhote de gato

Um filhote de gato, ao contrário do que muita gente pensa, não pode beber leite. Pelo menos, não o leite de vaca. Apenas o de sua mãe.

O desmame, normalmente, acontece de forma natural, e no tempo do gato. Porém, o gato deve ser estimulado a consumir comida felina, desde cedo.

É importante consultar o veterinário, antes de comprar qualquer ração, porque às vezes, seu gato tem alguma doença ou condição que exige um cuidado maior na alimentação.

Mas, nesses primeiros meses de vida, principalmente, evite que seu gato coma qualquer coisa que não seja a ração. Assim, você evita desnutrições e baixas no sistema imunológico dele.

Confira aqui alguns sites com promoções de ração.

06. A pelagem de um filhote de gatos

Quando você adotar um filhote de gato, acostume ele com o ritual da escovação de pelos. Você pode pedir para o petshop fazer isso, mas não é uma coisa difícil.

É importante você usar uma escova de cerdas macias, e de um material antialérgico (nas lojas especializadas há diversas opções).

Isso impede a formação de nós, o acúmulo de sujeira, e bolas de pelos – que vão surgira, mas serão menos frequentes, com a escovação correta.

Lavar os pelos do gato também é essencial. Para isso, procure produtos de higiene próprios para gatos.

Cuidar de seu gato é, também, cuidar de seus pelos.

05. Vacinas e doenças do filhote de gatos

Filhotes de gatos, como crianças, precisam ser imunizadas contra doenças, nos primeiros anos de vida.

Cinco doenças, especificamente, então nos calendários de vacinação de gatos. São a Chlamydia felis, a Calicivirose, a Doença da arranhadura, a gripe felina e a Panleucopenia felina.

Além disso, a leucemia felina e a raiva também são evitáveis pela vacinação.

Quando você vacina seu filhote, você, inclusive, evita que outros gatos da casa, eventualmente, se contaminem (e vice-e-versa).

Além disso, é importante que seu gato seja vermifugado, e esteja sem pulgas e carrapatos, que podem contaminar, inclusive, os humanos da casa.

Leia mais sobre vacinas e doenças aqui. Porém, não se esqueça: todas as orientações de vacinação devem ser dadas pelo veterinário.

04. Impondo limites ao seu filhote de gatos

Impor limites não significa oprimir seu filhote de gato. É simplesmente fazer ele entender que há lugares da casa aos quais ele não pode ir, e coisas que não pode fazer.

Lugares das necessidades, alimentos, horários para dormir, comer e brincar... São coisas simples que seu gato, por ser um animal doméstico, precisa aprender.

Para isso, é importante que o filhote de gato tenha vários brinquedos, para ele não se entediar.

Além disso, você pode tentar sprays educadores, vendidos em petshops. Com eles, você espirra um pouco da essência perfumada no local a ser evitado, acostumando seu gato.

03. O filhote de gatos e outros animais da casa

Se você já for o tutor de outros animais, antes de colocar um filhote de gato em sua vida, veja bem seus amigos antigos: será que eles vão gostar de um novo ser, nas suas vidas?

A pergunta é simples, porque há animais (algumas raças de cães, gatos mais idosos) que simplesmente não suportariam essa ideia. Assim, ter um filhote em casa vai ser uma tremenda dor de cabeça. E às vezes, o pior pode acontecer (com o filhote).

Mas, se você perceber não há problemas, adote o filhote. Mas tenha ciência: seu gato mais velho vai se sentir invadido, e, a principio, ficará meio relutante com o novato. Então, crie o espaço do gato novo, longe do espaço do gato velho. E não mude seu comportamento com o antigo, por causa do novo.

Aumente a quantidade de brinquedos, caixas de areia e arranhadores, também. Adotar um gato novo, é acrescentar gastos novos, e considerar isso é importante. Seu gato velho não vai aceitar um ser diferente fazendo xixi na caixa dele, por exemplo.

02. Castrando o filhote de gato

Castrar um gato é extremamente importante.

Primeiro, isso vai reduzir consideravelmente comportamentos de influência hormonal (como agressividade).

Gatos com seus órgãos sexuais ficam mais propensos a terem um comportamento nervoso.

As gatas, por estímulo hormonal, ficam inquietas, no período do cio. Já os gatos, esses ficam aflitos quando sentem os odores de uma gata no cio, e muitos escapam de casa, nesses dias.

O segundo ponto a favor da castração é no que se refere a doenças.

Canceres, inflamações e afins podem ser evitados com esse procedimento. E, ao contrário do que muitas pessoas falam, ele pode ser feito no Centro de Controle de Zoonoses municipal, de graça.

Apenas se atente para a época. O veterinário poderá dizer o período mais adequado para seu filhote. Mas, em geral, a partir dos 6 meses já é recomendável.

Terceiro, as gestações de um gato são rápidas. Às vezes você prefere esperar um ano, acontece um “acidente” e então sua gata emprenha-se de 12 filhotes... E aí, o que você fará?

Mesmo se você quer ter um gatil, saiba que cada ano, pelo menos 10 gatinhos novos vão nascer,

01. Quando adotar um filhote de gato

A dica mais importante é saber quando o gato pode ser adotado. Criar um filhote é tudo de bom, mas deve ser na época certa. O melhor é você esperar cerca de 60 dias, para afastar o filhote e a mãe.

Seja por saúde, por hábitos, por alimentação... Gatos muito novos vão requerer muito mais cuidados, uma vez que, para eles, tudo é novo.

Assim, é importante adotar apenas de gatis reconhecidos e qualificados. Criadores de “fundo de quintal”, normalmente, não cuidam da mãe de forma adequada, nem dos filhotes, cobrando taxas veterinárias abusivas.

Em outras palavras, eles vendem o filhote, inventando gastos que não existem.

Para evitar isso, você pode procurar mais informações no Clube Brasileiro do Gato.


E você, já teve um filhote? Como foi sua experiência? Ficou alguma dúvida? Tem alguma sugestão? Conte para nós nos comentários.

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva na nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Continuar Lendo

Em Alta