Animais

10 coisas que você precisa saber antes de adotar uma calopsita

Você quer adotar uma calopsita? Sabe como cuidar de uma? Sabe o que elas comem? Como deve ser a gaiola? Descubra aqui!

por

Lucas Silva

Publicado em

Tido como um dos pássaros mais simpáticos e brincalhões de todos, a calopsita é uma ave para quem gosta de agitação. Muito popular pela sua animação, seu topete de plumas e suas “bochechas maquiadas”, a ave australiana vem conquistando cada vez mais os lares brasileiros.

Parte da popularidade da calopsita se deve, ainda, pela facilidade de adota-la. A ave é uma das poucas que, para ser criada como pet, não precisa de licença especial (basta você procurar um petshop/criadouro credenciado e de confiança).

Quem adotou uma garante: a calopsita é um animal cheio de energia, que adora conviver com outros pets, e com pessoas. Além disso, ela é super inteligente; pode aprender a brincar, a cantar e até mesmo a falar!

(Além de bocejar logo que acorda, pra espantar o sono, porque ninguém é de ferro, não é mesmo?)

Porém, você sabe o que é necessário ter em casa, ao adotar uma? Sabe como preparar sua casa para receber a calopsita? Sabe qual é a gaiola correta? Qual o tipo de ração?

Procurando saber mais, listamos aqui 10 coisas que você precisa saber antes de adotar uma calopsita! Confira!

ANÚNCIOS

10. Quando adotar uma calopsita?

Quando uma calopsita pode ser adotada? Essa pergunta é importante, porque a ave é fofa e bricalhona – mas precisa ser ensinada! Então, é importante que ela conviva com os tutores desde seus primeiros dias.

Mas que dias são esses “primeiros”? Bem, o ideal é que a calopsita já tenha cara de calopsita (e não aquela aparência de filhote, quase sem penas). No caso da calopsita, isso acontece por volta dos 60 dias.

Um pouco depois de 60 dias, inclusive, vai facilitar pra você. Isso porque, a depender das necessidades da ave e da avaliação do veterinário responsável pela adoção, você vai precisar alimentar ela com um alimento pastoso próprio pra aves, via seringa (tudo isso tem no pet shop).

Então a melhor resposta é: adote a calopsita depois de 70 dias do nascimento!

ANÚNCIOS

09. Calopsitas crescem demais?

Algumas pessoas olham a calopsita na internet, e pensam que ela é um passarinho minúsculo. Porque, de fato, a calopsita não é grande igual, por exemplo, uma galinha ou mesmo uma pomba. Por outro lado, essas aves ficam bem maiores que um periquito, por exemplo.

Pra sermos mais diretos: a calopsita pode chegar á 35 cm e pesar até 90 g, quando adultas. Ou seja, ela é uma ave pequena – mas mesmo assim, ocupa algum iespaço.

08. Qual é a melhor gaiola para a calopsita?

A calopsita é uma ave que precisa de espaço para voar, andar e brincar. Ela é uma ave muito agitada. Ela detesta se sentir sufocada ou presa. Se a gaiola transmitir essa sensação, a ave começará a ter sintomas de stress e depressão.

Logo, a gaiola da calopsita deve ter, no mínimo o dobro do seu tamanho – ou seja, precisa ter no mínimo 60 cm. Poleiros de alturas variadas, ajudam a ave a se distrair quando não estiver brincando com você.

Alguns brinquedos, próprios para aves, como escadinhas, cordas, balanços e bolinhas (encontrados facilmente no pet shop) também são importantes para sua amiga viver feliz.

Esses brinquedos vão servir para ela desestressar, desgastar as unhas e o bico, e vão estimular a inteligência da ave.

ANÚNCIOS

07. Calopsitas podem aprender truques?

Como outras espécies de papagaios, as calopsitas podem aprender muitos truques. Podem aprender a falar, vocalizar músicas, abrir caixas e portas, esconder coisas…

São aves muito inteligentes. Com amor e paciência, o tutor consegue ensinar limites e regras de convivência. E em pouco tempo, a pequena aprende quem são seus tutores, fazendo festa, quando eles se aproximam.

06. Calopsitas podem fugir de casa?

Em geral, calopsitas são caseiras. Isso é, não fogem. Apegam-se aos tutores (quando eles são carinhosos e oferecem brinquedos e comidas adequadas) e ao seu lar.

Porém, você não deve dar chance ao azar. Às vezes, sua calopsita poderá querer passear um pouco,e, se você não tomar cuidado, ela saia voando, mas não consegue mais encontrar o caminho de volta.

Se você for passear com ela, opte por uma coleira de aves, facilmente encontrada em petshops.

Aves e gatops podem conviver na mesma casa? A resposta é sim. Descubra como, aqui!

ANÚNCIOS

05. Calopsitas gostam de crianças?

Quando calopsitas são treinadas e ensinadas desde os primeiros meses de vida, se tornam amigas divertidas e amáveis. Isso quer dizer que calopsitas podem ser um ótimo pet, para uma criança.

Além de serem brincalhonas, calopsitas adoram cafunés no topete e na nuca. Já jogos, como esconder a comida, ou correr pela casa, não é só recomendado – é vital pra saúde da ave.

Apenas deve-se ter o cuidado para que a criança não aperte a ave, nem ponha a mão no bico e ou nas garras.

04. O que calopsitas comem?

Na natureza, calopsitas comem insetos, frutas e sementes. Contudo, essa dieta precisa ser adaptada para a vida doméstica.

Algumas sementes e frutas podem ter gorduras demais para a calopsita. Na natureza, ela gastaria toda essa energia voando milhares de quilômetros, todos os dias. Na sua casa, provavelmente, ela não terá esse gasto energético.

Então, prefira as rações próprias para calopsitas – encontradas em pet shops – e complemente a dieta com frutas, sementes e legumes que o veterinário indicar.

03. Calopsitas fazem sujeira?

Por serem animais pequenos e terem uma dieta rica em fibras, as calopsitas são bastante limpas. As fezes são mais secas, e em pouca quantidade. Logo, limpar a gaiola vai ser fácil.

Outra particularidade, é que as calopsitas gostam de fazer a limpeza de suas penas, elas mesmas. Também não são aves que soltam muitas penas.

02. Calopsitas vivem quanto tempo?

Uma calopsita saudável vive em torno de 20 anos. É uma ave que vai envelhecer ao lado do tutor!

01. Quanto custa ter uma calopsita?

As taxas de adoção de uma calopsita não costumam ser menores do que 150 reais. Isso quando estamos falando de um viveiro credenciado, que cuida de suas aves com responsabilidade e qualidade.

Os custos com alimentação costumam ser baixos. Em geral, um pacote de ração, que durará por volta de 30 dias, custa 20 reais. A gaiola, por sua vez, será em torno de 250 reais (mas é um gasto que você terá uma única vez).

Por fim, os gastos médicos, esses variam bastante –mas, se esse fator for decisivo, talvez seja melhor você não adotar nenhum pet, por enquanto.

Conclusão

Se você gosta de animais, e já adotou um, mas nunca uma ave, talvez, a calopsita seja a melhor opção! Ela é uma ave adorável, inteligente, afetuosa e divertida. Os percalços vão existir, mas quem adotou um gato ou um cachorro também teve percalços.

O importante é você pensar bem, ponderar, analisar os prós e contras. Se essa decisão for acertada, adote uma calopsita e seja feliz!


E você, tem uma calopsita? Sua calopsita vive com outras aves? Com outros pets? Com um gato? Conte para nós como foi adotar uma calopsita. Poste a foto dela aqui!

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, assine nossa newsletter e fique por dentro do melhor conteúdo do mundo felino!

Escritor e professor. Escreve sobre literatura, poesia, animais, filmes, séries e demais coisas de cultura. Já publicou dois livros de poesia e logo publica mais um.

Animais

Ração para gatos: o que é e como escolher a mais adequada pra seu felino?

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Quem tem um gato sabe, quando é hora de comprar a ração do seu felino, você nunca tem muita certeza sobre qual escolher. Existem rações úmidas, secas, com carne, com legumes, para diminuir a glicose, para manter o peso, para gatos seniores... São MUITAS!

Logo, qual escolher? Como saber do que seu gato precisa, o que ele pode comer, qual ele vai gostar?

Procurando descobrir sobre a alimentação dos gatos, fomos atrás de algumas informações. Então, descubra aqui seu guia definitivo sobre a alimentação dos gatos!

Nem leite, nem ratos: o que um gato (doméstico) come?

Quando pensamos em um gato comendo, duas imagens vêm à nossa cabeça: leite e ratos. Se a primeira está errada (pasmem), a segunda é verdade, mas não é recomendado.

Por quê?

Primeiro, o leite. Gatos são mamíferos. Porém, são mamíferos apenas do... Leite de suas mães. Depois que eles entram na fase do desmame, seus corpos vão retirar o cálcio de outros alimentos.

O leite de vaca é adequado para o bezerro. O de cabra, para o cabrito. O de ovelha, para o carneirinho... O leite desses animais, que consumimos em larga escala, é extremamente gorduroso, e tanta gordura pode afetar o fígado e os rins de seu gato.

Logo, não sirva leite para seu gato.

Segundo, o rato. Gatos são animais que evoluíram de felinos selvagens, como tigres, onças e leopardos. Isso é, felinos que caçam. Logo, seu gato, se não fosse você alimentando ele, provavelmente, caçaria ratos.

Isso não quer dizer que você deva deixar seu gato sem ração, para ele comer ratos!

Ratos são muito contaminados por doenças e substancias químicas, oriundas de poluição e fábricas. Principalmente os urbanos. Também são animais que combatemos com venenos, desde venenos alimentares, até venenos gasosos.

Ou seja, um rato urbano pode passar doenças por seu gato, ou pode envenenar ele.

Assim, o que gatos domésticos comem? A resposta é: ração.

Jantando com meu gato: qual é o menu?

Gatos também podem comer alguns alimentos que seus tutores comem. O principal deles é carne. De preferência, alguma sem osso, e sem gordura.

No caso dos peixes, prefira peixes frescos e levemente cozidos.

No caso de frutas e legumes, prefira aquelas que não são cítricas, como maçãs, melões, mamões, e legumes como cenoura abóbora, brócolis. Folhas, tipo alface, também estão liberadas.

Mas nunca faça desses agrados, a refeição principal de seu gato. Às vezes, você pode estar ofertando os alimentos nas porções erradas.

E antes de fazer isso, claro, converse com seu veterinário. Às vezes, os gatos apresentam sinais de doenças e alergias a algumas comidas, e só o veterinário saberá identificar.

E o que um gato precisa, para ser saudável?

Gatos são, essencialmente, carnívoros. Isso significa que o que eles mais precisam comer são proteínas e ferro.

Por um lado, você não deve simplesmente parar de comprar ração, e só ofertar carne para seu felino. Eles são “essencialmente”: ou seja, a maior parte da dieta deles é composta por proteínas, mas eles também precisam de vitaminas e sais minerais.

A proporção correta de proteínas e outras substâncias, as fontes, e a variedade só são determinadas com exatidão por uma pessoa: o veterinário.

Dessa maneira, antes de adotar qualquer dieta para seu gato, converse com um veterinário. Só ele vai saber indicar as rações mais adequadas pro gato.

Cada gato é um gato único. Literalmente, não só porque eles são nossas fontes de tufos e amor. Há raças que demandam mais de uma substancia que outras. Gatos de diferentes idades precisam de diferentes nutrientes. Gatos com condições de saúde diferentes precisam de rações diferentes.

Você sabe quais comidas os gatos NÃO podem comer, jamais? Confira aqui!

O que é a ração de gato?

Assim, chegamos a um ponto crucial. O que é ração de gato? É simplesmente uma bolinha marrom parecida com uma bolacha, ou ali tem alguma outra coisa?

Primeiro, a ração de gatos é exclusiva para... Gatos! A ração de cachorros, ou outros mamíferos é bem diferente da ração de gatos. Isso acontece porque o organismo dos gatos é bem diferente do organismo de um cachorro, ou outros mamíferos.

Se o seu gato comer uma bolacha de cachorro, de vez em quando, ele não vai ficar doente. Porém, vai ficar desnutrido.

Pense: se você almoçar todo o dia salgadinhos sabor cebola, você será uma pessoa saudável?

Mas o que tem na ração, que é tão diferente assim?

Basicamente, na ração de gatos (e cachorros) há: carne, cereais, e amido ou gelatinas.

O que muda de ração para ração são as proporções, e as funções. Uma ração para gatos com sobrepeso será diferente de uma ração de filhotes. Uma ração para controle de glicemia é diferente de uma ração para controle de colesterol.

E aí, como você escolhe qual ração comprar? Vamos repetir o mantra do Senhor Gato?

“OM... PROCURE UM VETERINÁRIO... OM”.

Ração seca ou ração úmida?

Agora, imagine a situação: você foi ao veterinário, a doutora ou doutor disse que seu bichano está bem. Agora, você irá comprar ração.

Qual escolher? Ração seca ou úmida? E o que é uma ração seca? O que é uma ração úmida?

A ração seca é, basicamente, uma bolacha. A úmida, um patê. Como tudo na vida, elas têm vantagens e desvantagens, e é importante você ponderar todos os pontos antes de optar por uma ou outra. Mas, médicos veterinários, quase sempre vão recomendar você comprar as duas. Vejamos.

Ração seca: vantagens

A vantagem da ração seca é seu custo-benefício. Como elas são “bolachas”, elas são vendidas em uma quantidade maior. Além disso, podem ficar mais tempo na tigela, porque são grãos secos.

Isso as torna mais fáceis de armazenar (e descartar, quando começam a estragar).

Além disso, elas grudam menos nos dentes. Então, a higiene dos gatos fica mais fácil.

Ração seca: desvantagens

Como elas são secas, são mais duras. Isso pode ser um problema para gatos muito jovens (que estão trocando a dentição) ou muito idosos (que perderam os dentes).

Outra coisa, é que sua consistência, seca, pode desagradar ao paladar de alguns gatos, ou mesmo dar uma leve indigestão – mas isso não é comum.

Ração úmida: vantagens

A maior vantagem da ração úmida é sua consistência. Como ela parece um patê ou creme/caldo de carnes, os gatos comem elas com muito mais gosto.

Outra coisa boa é que, por serem úmidas, não só alimentam os gatos. Ela também podem ser uma fonte de hidratação.

Ração úmida: desvantagens

A maior desvantagem da ração úmida é que ela estraga muito rápido, justamente por ser um alimento imerso em um caldo. Assim, se o seu gato não comer ela naquele momento, provavelmente você terá de jogar tudo fora.

E isso é um problema não só pelo desperdício de comida. O custo (elas costumam vir enlatadas, pra durar mais) pode pesar um pouco. E como elas não duram muito depois de abertas, um pote de ração úmida é bem menor do que um de ração seca.

Assim, como você pode ver, o mais importante é você alimentar seu gato. Não existe ração perfeita e o ideal (além de ir ao veterinário com frequência) é você ir equilibrando e variando a ração.

E para comprar rações com um preço muito mais em conta, acesse aqui, e escolha a loja de e-commerce mais perto de você!


O que achou de nosso artigo? Faltou falar de alguma coisa? Ficou alguma dúvida sobre ração de gatos? Tem alguma que você prefira? Alguma que você usou e gostou (ou não gostou)? Conte para nós nos comentários!

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva no nosso newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Continuar Lendo

Em Alta