Animais

Castração de gatos: tudo o que você precisa saber

Por

Lucas Silva 

| Publicado em

Tido por todos os veterinários como um procedimento importante de saúde preventiva, a castração dos gatos ainda é cercada de mitos. Isso porque, é uma operação, então, exige uma equipe médica altamente qualificada.

Dentro da literatura veterinária, a castração é chamada de orquiectomia (machos) e ovariosalpingohisterectomia (fêmeas), e é uma operação que vai retirar os testículos ou útero do felino.

Mas, diferente do nome técnico, a castração de gatos é algo simples e rápido. E essencial para garantir que os bichanos vivam mais e melhor.

Além de impedir que sua gata emprenhe (o termo animal para engravidar), a castração evita doenças como cânceres e inflamações, ajuda no controle do humor dos felinos e impede surpresas (des)agradáveis, como uma ninhada de gatinhos.

Que fique claro, a gente aqui ama gatinhos. Mas eles trazem uma série de custos e preocupações que nem todo dono de gato quer ou pode ter.

Outra coisa importante de dizer é que a castração é gratuita, se feita no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) municipal (confira as determinações específicas, no CCZ da sua cidade).

Mesmo assim, a castração ainda é vista com ressalvas por alguns tutores. Muitas ideias são mitos, mas é você saiba algumas coisas sobre essa operação, antes de submeter seu gato a ela.

ANÚNCIOS

Castração: não é (só) sobre aquilo

Muitos tutores de gato entendem a castração pela ótica humana, isso é, você estaria impedindo seu gato de ter “relacionamentos afetivos”.

Isso é um mito porque, essa forma de pensar é humana – falar em “amor” exige um pensamento abstrato que os gatos, provavelmente, não têm.

A castração serve, principalmente, para ajudar na saúde de seu gato. Os relacionamentos que o gato macho tem com a fêmea são instintivos. Ou seja, quando você castra seu gato, ele não ficará triste porque não pode “namorar” – porque isso é uma ideia humana.

Castração é sobre impedir uma série de problemas que os órgãos sexuais podem trazer, no futuro, principalmente, canceres. Você sabia que gatas também podem ter câncer de útero, e gatos, câncer de próstata e que eles são tão fatais para os animais quanto para nós?

Reforçando a ideia, para os gatos, cruzar não é um ato “afetivo”, mas um instinto. O macho não vai ter afeto pela fêmea da mesma forma que o homem pela mulher, porque isso é um sentimento abstrato – o amor.

O gato até pode ter afeto pela gata, mas esse afeto não depende dos órgãos reprodutores.

ANÚNCIOS

Gatos tranquilos, donos descansados

Outros benefícios da castração incluem a melhora do comportamento. Isso porque o útero e os testículos são órgãos que produzem hormônios que afetam o temperamento dos animais, de várias formas.

Animais castrados ficam menos agressivos e territorialistas – é o chamado “estímulo hormonal” de comportamentos como arranhar, morder ou ficar horas miando alto.

No caso dos gatos machos, alguns comportamentos, como urinar pela casa, arranhar móveis, e atacar outros animais (e até visitas) é uma herança de seus parentes selvagens, do passado.

Seu gato arranha demais? Saiba aqui o que você pode fazer para contornar esse comportamento.

Quando o gato não-castrado faz isso, é como se eles estivesse querendo provar sua “virilidade”, mostrar que ali, quem manda, é ele. Esses instintos vêm dos hormônios sexuais, porque para gatos selvagens, dominar certa região era essencial.

No caso das gatas, quem já teve uma gata não-castradas deve lembrar: elas ficam miando a noite toda, ficam se enrolado nas pernas das pessoas, ficam mexendo nas janelas e portas. Instintivamente, o que a gata está fazendo é tentando chamar a atenção de machos, porque seu corpo está pronto para gerar filhotes.

Além disso, tanto machos quanto fêmeas não-castrados, eventualmente, fogem em busca de parceiros. Então, podem ser sequestrados, atropelados, se perder, contrair doenças na rua, voltar para casa com pulgas e carrapatos…

São muitos comportamentos desagradáveis para um gato doméstico. E todos eles são muito mais fáceis de serem contornados, quando o gato é castrado.

ANÚNCIOS

E quando eu devo fazer a castração?

Como regra geral, veterinários costumam falar em castrar o gato após 60 dias do nascimento, e preferencialmente antes de completar 1 ano.

Por outro lado, a castração de gatos pode acontecer (praticamente) em qualquer período da vida do felino.

Porém, como a gente sempre fala nesses casos, procure um veterinário de sua confiança, antes de tomar qualquer decisão. Gatos idosos, normalmente, são os únicos casos em que a castração não é recomendável. Mas isso, quem vai dizer, é o veterinário.

Outro mito sobre castração diz respeito ao gato engordar. Supostamente, com a perda desses hormônios, haveria um desregulamento de apetite. Porém, muitos fatores (para além dos hormônios sexuais) podem levar a isso.

A falta de brinquedos, arranhadores e comidas adequadas contribuem (muito) mais pra obesidade, do que a castração.

Como é a castração de gatos?

Para você castrar seu gato, primeiro, você precisa procurar um veterinário. Apenas esse profissional poderá fazer a avaliação correta da situação do felino, e dizer se é o momento de castrar ou não.

Se for, então será marcada uma operação. Provavelmente, ele vai pedir que você deixe seu gato em jejum por umas 12 horas. Então, na sala de operações, o gato vai receber anestesia geral.

Depois, acontece a parte operatória. Na região onde será feito o procedimento, o gato vai ser tosado e o órgão genital (o ovário ou testículos) serão retirados, e depois a incisão vai ser fechada com pontos.

As castrações (mesmo nas fêmeas, que precisam ter o ventre aberto) costumam ser bem rápidas, e os animais recebem alta no mesmo dia.

Quer comprar comida para seu gato sem sair de casa? Então, confira esses sites!

Eventualmente, o veterinário vai pedir pra você por um colar elisabetano (aquele tubo em volta do pescoço, parecendo uma cúpula de abajur) ou um colete operatório no seu gato.

Talvez ele sinta dor nos primeiros dias (mas isso, por ser uma operação, e não por ser “a castração”). Se isso acontecer, você precisa avisar o veterinário, e esse profissional vai indicar o remédio mais adequado, se for o caso.

ANÚNCIOS

Então, você já sabe…

Adotou um gato e não quer filhotes em casa? Castre ele!

Castrar é um gesto de amor para e com seu gato, pois isso permitirá que ele viva mais, melhor e com mais tranquilidade.

Não pense nisso como uma operação invasiva (algo que vai machucar eles), mas como uma operação preventiva (para evitar problemas maiores).

As lembranças e momentos felizes que você e seu bichano viverem, farão tudo ter valido à pena!


E você, já castrou seu gato? Ficou alguma dúvida? Tem alguma história envolvendo castração (ou cio) engraçada ou curiosa? Conte para nós nos comentário!

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva na nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Animais

Viajar sem seu animal: Pet Hotel ou Pet Sitter

Por

Lucas Silva 

| Publicado em

Você vai viajar de avião e não quer levar seu cachorro? Vai para aquela cidade de praia meio isolada, tem medo de levar seu gato, e o bichano se perder? Vai tirar uma segunda lua-de-mel e não quer levar seu filho de quatro patas?

Não tem problemas: deixe seu amigo em um Pet Hotel (Hotelzinho) ou com um Pet Sitter.

Apesar de viajar com seu bicho é superlegal, tem viagens que é melhor ele não ir; então, escolher um bom cuidador para ele é essencial.

O primeiro lugar é uma casa especializada, com uma equipe que vai garantir amor, carinho e cuidados para seu cachorro ou gato, mas num lugar estranho a ele. O segundo, é uma pessoa que vai na sua casa, durante algumas horas do dia, e lá vai se dedicar, exclusivamente, ao seu amigo peludo, dando todo o amor e cuidado que ele precisa.

Porém, qual é a opção mais adequada para seu animal? Qual é a mais adequada para o seu estilo de vida? A seguir, listamos algumas vantagens e desvantagens de Pet Hotéis e Pet Sitters, para te ajudar a decidir qual serviço escolher, e assim, poder aproveitar sua viagem, sem preocupação!

Conforto

Se para nós, sair um pouco da rotina, experimentar uma cama nova, acordar com uma bela paisagem é renovador, para o cachorro ou gato, às vezes é assustador. Pense bem: ele está em um lugar que ele não conhece, com pessoas e animais que ele não conhece.

Assim, o chamar um Pet Sitter é uma opção bem melhor, em termos de conforto. Seu animal não vai sair do lugar dele, da cama dele, não vai se afastar dos seus brinquedos e do seu cantinho do xixi…

Claro que tem animais que conseguem se dar muito bem em lugares novos. Também temos Pet Hotéis que, igual hotéis para pessoas, são muito mais luxuosos que nossas casas. Então, se você acha que seu amigo merece dar essa variada de ambiente, vale a pena investigar.

Mas é como diz o ditado: não há lugar como nosso lar.

Ponto: Pet Sitter

Socialização

A não ser que você seja o tutor de vários animais, quando você viaja, seu gato ou cachorro vão ficar sozinhos em casa. O Pet Sitter vai na sua casa, vai brincar com eles e, eventualmente, poderá levar seu amigo para passear. Mas ele ficará sozinho, principalmente de noite.

Gatos são, por instinto, animais mais propensos a ficarem sozinhos. Pense em um tigre, ou um leopardo: grandes felinos solitários. Diferente de cães, que evoluíram dos lobos, que viviam em enormes alcatéias. Assim, em um Pet Hotel, seu animal vai interagir com outros bichos da sua espécie e até de outras.

Para algumas raças de cachorro e até de gatos, ficar muitos dias sozinho pode ser bastante estressante. Pense bem: um som diferente, pessoas diferentes no bairro, ou situações inesperadas (como gritos de torcedores em dias de jogos) são coisas que vão assustar seu animal.

Se ele estiver com outros animais, no Hotelzinho, vai se sentir mais seguro, mais acolhido. Na sua casa, principalmente de noite, ele não terá ninguém para passar essa sensação de segurança.

Ponto: Hotelzinho

Atendimento individual

Quando falamos dos nossos animais, todo dono é igual: “todos os gatos são parecidos, mas só o meu gato faz isso”, vão dizer os donos. O mesmo vale para cachorros.

Dessa forma, o serviço que vai, melhor atender às necessidades exclusivas do seu animal, é um Pet Sitter. Nos Pet Hotéis, é claro que seu cachorro ou gato será muito bem cuidado, será observado de perto por cuidadores especializados e carinhosos, e vai brincar bastante. Mas, será um tratamento genérico – porque terão lá muitos outros animais

Dessa forma, só um Pet Sitter, contratado para cuidar exclusivamente do seu animal, vai saber fazer aqueles cafunés e brincadeiras que só o seu cachorro ou gato gostam. Essa pessoa estará lá para entender seu amigo peludo, para se dedicar exclusivamente para ele, e eventualmente, para fazer chamadas de vídeo para você falar com seu bichinho.

Além disso, alguns Pet Sitter podem fazer visitas ao seu animal, algumas semanas antes da sua viagem. Assim, seu gatou ou cachorro não vão estranhar quando ele for lá, e você não estiver, e o profissional já vai conhecendo melhor, cada necessidade própria, do seu amigo peludo.

Um Pet Sitter é alguém que vai amar seu pet tanto quanto você.

Ponto: Pet Sitter

Seu gato está entediado? Descubra aqui arranhadores divertidos e diferentes para ele se distrair!

Segurança

Quando você hospeda seu gato ou cachorro em um Pet Hotel, lá haverá monitoramento por câmeras, 24 horas, provavelmente, um veterinário plantonista, além de diversas pessoas, cuidando para que seu cachorro não sinta frio, fome sede, e fique sempre limpo. Ou seja, é um lugar seguro, administrado por pessoas experientes e dedicadas.

Um Pet Sitter precisa ser uma pessoa de sua extrema confiança. Existem alguns pet shops que, eventualmente, oferecem o serviço. Mesmo assim, pense bem: trata-se de uma pessoa que vai entrar, sozinha (é o que se espera) na sua casa, e, sem ninguém ver, e sem nenhuma presença de câmeras de monitoramento, vai cuidar de seu amigo – e ter acesso às suas coisas.

Por isso, é muito importante você pesquisar bem, quem é o Pet Sitter, caso opte por esse serviço. Pesquisar referências, o que falam dele nas redes sociais, se há fotos do profissional com outros cães e gatos, se ele tem conhecimentos básicos de veterinária e primeiros socorros, se ele sabe sobre alimentação animal…

Além disso, haverá períodos em que o seu animal estará sozinho, no caso de contratar um Pet Sitter. Assim, se acontecer algum problema na casa, no momento em que o Pet Sitter já tiver ido embora, não terá lá ninguém pra resolver isso de forma rápida.

É claro que existem milhares de Pet Sitters excelentes, como também existem Pet Hotéis com atendimento e instalações que deixam a desejarem. Por isso, pesquisar sobre Hoteizinhos, ver avaliações em sites especializados e redes sociais, procurar fotos, é muito importante.

Mas, de maneira geral, Pet Hotéis são mais seguros – em uma avaliação genérica.

Ponto: Hotelzinho

Valores

Um Pet Sitter é um profissional que vai dedicar algumas horas do seu dia, exclusivamente, ao seu gato ou cachorro. Ele estará com seu animal por certo período de horas, vai conversar com ele, levar para passear, dar banho, fazer toda a higiene…

Em um Pet Hotel, seu animal será cuidado, limpo, bem alimentado, brincará bastante. Mas ele não será o único animal do lugar.

Logo, alguns serviços de Pet Sitter podem ser tão caros quanto de um Hotelzinho, se não mais.

O Hotelzinho tem o custo com lavanderia e limpeza das áreas comuns, ração, eventuais remédios e brinquedos (principalmente se você tiver um cachorro que adora destruir coisas), além das contas como água, luz e eletricidade. E alguns são tão luxuosos quanto hotéis de luxo para pessoas.

Um Pet Sitter vai cobrar pelo horário que estará, pelo serviço (só alimentar e brincar? Correr com o animal? Aparar o pelo e as unhas?), mas não vai somar ao valor total as contas como mercado, farmácia e brinquedos. Logo, talvez seus valores sejam menos, mas nesse caso, você terá que arcar com todas as outras contas.

Então, vale você pesquisar bastante, sobre a estrutura e as facilidades de cada serviço, se a questão do valor for um problema.

Ponto: Empate

Resultado

Tanto um Pet Sitter quanto um Pet Hotel podem ser escolhas boas ou não, para o seu gato ou cachorro, quando você for viajar. A primeira coisa a fazer é você analisar o que você acredita que será o melhor para seu amigo. Em segundo lugar, você deve pesar as vantagens e desvantagens de cada serviço, e então, procurar aquele que for o melhor possível, o que mais te agradar e te passar confiança, dentro das suas condições.

Cada serviço tem seus pontos positivos e negativos, e, como cada gato e cada cachorro é um ser único, às vezes, um serviço será melhor para o bichano de um tutor, mas não será para outro.

Por isso, é importante você conhecer seu pet, e então pensar consigo mesmo, qual serviço será melhor para ele. O mais importante é não deixar a oportunidade das suas merecidas férias passar. Seu animal ficará bem, se o serviço escolhido for realizado por pessoas dedicadas e carinhosas.

Todo mundo merece umas férias. Até nossos amigos de quatro patas!

E você? Já hospedou seu gato ou cachorro em um Hotelzinho? Já contratou um Pet Sitter? Conte para nós como foi, nos comentários. Diga se esquecemos de abordar alguma coisa.

E para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, assine nossa newsletter e fique por dentro do melhor conteúdo sobre gatos e demais pets!

Continuar Lendo

Em Alta