Animais

Alergia alimentar em gatos: como identificar e tratar?

Você sabe identificar a alergia alimentar em gatos? Isso é muito importante para um tutor. Afinal, influencia na saúde do bichano. Confira dicas!

por

Aline Mesquita

Publicado em

| Atualizado em

ANÚNCIOS

Entenda tudo sobre alergia alimentar em gatos e os cuidados necessários 

Entenda tudo sobre alergia alimentar em gatos e os cuidados necessários 

A alergia alimentar em gatos pode causar várias consequências negativas para o seu gatinho. Afinal, ele pode desenvolver doenças, intolerâncias e desnutrição.

Por isso, é crucial que todos os tutores de gatos saibam como identificar sinais de que isto ocorra. Embora algumas reações sejam naturais em alguns casos, a constância delas demonstra que algo não está bem.

A alimentação para gatos se baseia, principalmente, em proteínas. Contudo, também conta com carboidratos, gorduras e minerais, em menor grau. E há a possibilidade de que o seu felino seja alérgico a alguma substância que carregue esses nutrientes.

A alergia alimentar em gatos nada mais é do que uma intolerância a certos alimentos. Ou seja, o organismo felino tem uma reação adversa ao ingrediente. Com isso, apresentam respostas. Dentre elas estão vômitos, diarréia e aversão à comida.

Isso, então, prejudica-o. Não apenas pode causar a desnutrição, como inflamações. E essas, fora de controle, podem ser letais. Dessa forma, confira agora mesmo como identificar alergia alimentar em gatos. Igualmente, o que fazer nesses casos e cuidados.

O que pode causar alergia no gato?

São várias as causas do aparecimento de alergias. Elas podem acompanhar o felino desde o início de sua vida. Por outro lado, é comum que elas apareçam com a idade, em alguns meses ou apenas na fase idosa.

Veja, então, as principais causas da alergia alimentar a gatos:

  • Alimentos: algumas vezes os gatos simplesmente apresentam reação a alguns alimentos como peixes e bife;
  • Uso de medicamentos, cirurgias: podem causar lesões, inflamações e infecções no sistema digestivo. Isso, então, leva à intolerância a alguns alimentos, com o surgimento da alergia alimentar em gatos;
  • Raça: algumas raças de gatos, como os siameses, possuem tendências à alergia;
  • Idade: é comum que os gatos desenvolvam algumas alergias aos alimentos com o passar do tempo. Por exemplo, eles tomam leite enquanto filhotes. Porém, após o desmame passam a desenvolver a intolerância à lactose. Existem outras substâncias e ingredientes que podem passar pelo mesmo processo.

Quais os sintomas de alergia alimentar nos gatos?

Quais os sintomas de alergia alimentar nos gatos?

Para poder agir em tempo e cuidar do seu felino, é preciso saber reconhecer os indícios de alergias. Eles são inúmeros e, geralmente, concentram-se na pele e pelagem e reações digestivas. Também, no comportamento. Veja os principais sintomas:

  • Mau crescimento (na juventude);
  • Problemas de audição;
  • Inflamações na pele, que tende a ficar vermelha;
  • Perda de pelos em exagero;
  • Coceiras freqüentes;
  • Surgimento de feridas na pele;
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Tosse e espirros;
  • Aversão aos alimentos;
  • Emagrecimento agudo.

Como tratar alergia alimentar em gatos?

Como tratar alergia alimentar em gatos?

Pois bem, seu gato está com alergia aos alimentos. Então, o que fazer? O primeiro passo é consultar um veterinário. Ele poderá analisar o seu felino, bem como fazer exames de sangue e ultrassons.

Após a consulta o profissional será capaz de fazer todas as indicações para melhorar o quadro alimentar felino. Por isso, geralmente concede um plano alimentar. A troca de ração ou mesmo a adoção de alimentos naturais pode ser necessária.

Hoje existem rações industriais específicas para gatos com intolerância a substâncias. Elas têm o equilíbrio que o felino precisa e dispensa os ingredientes capazes de afetá-lo. Esses produtos facilitam a digestão de alimentos e a atração do felino.

Da mesma maneira, indicará formas de identificar novas alergias ou mudança de comportamento. Ainda, em alguns casos a medicação pode ser necessária. Novamente, busque ajuda com o veterinário.

Conteúdo Recomendado

Recomendações importantes para a dieta felina

A saúde dos gatos depende do respeito às recomendações para dieta felina. Conheça, abaixo, as principais delas para o bem-estar dos bichanos.

Saiba mais sobre esse assunto

A alergia alimentar em gatos com tratamento por medicamento pode causar algum estresse. Afinal, os felinos são totalmente avessos aos remédios. Tendem a fazer um grande escândalo ao necessitarem dela.

Existem dois tipos, geralmente, de medicamentos para gatos. Um deles é em drágeas, ou seja, em comprimidos normais. Por outro lado, existem os que são pastosos, em que é necessário colocar uma seringa (sem agulha) na boca do felino e apertar.

Infelizmente, ambas tendem a ser bem complicadas de ministrar. Porém, existem alguns truques que podem auxiliar. Segure bem o felino e abra a boca dele. Então, coloque a mão dentro da boca e deposite o remédio próximo ao final da língua e início da garganta.

Logo após, feche a boquinha do felino. Então, mantenha-a fechada e assopre no seu narizinho. Faça isso algumas vezes e depois confira se ele engoliu. Para isso, fique atento ao local em que ele se esconde após isso (o humor não estará bom, saiba disso). Analise se ele cuspiu o medicamento.

Qual antialérgico pode dar para gatos?

Novamente isso depende das instruções que o seu veterinário der para você. Afinal, existe mais de um tipo de alergia alimentar em gatos. Por isso, causas diversas terão tratamento diverso. Um medicamento pode não ser perfeito contra uma alergia, mas não ideal para outra.

Por isso, jamais medique o seu felino sem ter a devida orientação prévia. Sempre consulte o veterinário e siga à risca as suas instruções. Igualmente, nunca dê ao felino um remédio para humanos. Isso pode sobrecarregar o fígado e até mesmo ser letal.

Dentre os medicamentos próprios para alergias felinas está o antialérgico Coveli Alergovet C. Ele é próprio para gatos e cachorros de até 15 kg. Ou seja, para todos os felinos domésticos, com raríssimas exceções.

Esse medicamento se volta ao tratamento de clemastina. Seu consumo pode ser feito junto a outros medicamentos, bem como com ácidos graxos essenciais aos pets. A posologia depende da concentração do medicamento (0,7 mg ou 1,4 mg) e do peso do pet.

Por exemplo, veja a proporção diária do medicamento para alergia alimentar em gatos para a opção de 0,7 mg:

  • Até 2 kg - ¼ comprimido;
  • 2,1 kg a 5 kg - ½ comprimido;
  • 5,1 kg a 10 kg - 1 comprimido;
  • 10,1 kg a 15 kg - 1 ½ comprimido.

Contudo, ressaltamos. Apenas ministre esse medicamento para alergia alimentar em gatos com a devida orientação veterinária.

Conteúdo Recomendado

Quais são as doenças que atacam os gatos? Descubra

Dessa forma, você protege seu amigo de quatro patas, e também você e sua família – afinal, algumas doenças que atacam os gatos podem acatar pessoas, também! Confira aqui

Redatora profissional e Analista de Sistemas, apaixonada pela escrita e pelo aprendizado! Especializada em Marketing de Conteúdo e SEO.

Animais

Ração para gatos: o que é e como escolher a mais adequada pra seu felino?

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Quem tem um gato sabe, quando é hora de comprar a ração do seu felino, você nunca tem muita certeza sobre qual escolher. Existem rações úmidas, secas, com carne, com legumes, para diminuir a glicose, para manter o peso, para gatos seniores... São MUITAS!

Logo, qual escolher? Como saber do que seu gato precisa, o que ele pode comer, qual ele vai gostar?

Procurando descobrir sobre a alimentação dos gatos, fomos atrás de algumas informações. Então, descubra aqui seu guia definitivo sobre a alimentação dos gatos!

Nem leite, nem ratos: o que um gato (doméstico) come?

Quando pensamos em um gato comendo, duas imagens vêm à nossa cabeça: leite e ratos. Se a primeira está errada (pasmem), a segunda é verdade, mas não é recomendado.

Por quê?

Primeiro, o leite. Gatos são mamíferos. Porém, são mamíferos apenas do... Leite de suas mães. Depois que eles entram na fase do desmame, seus corpos vão retirar o cálcio de outros alimentos.

O leite de vaca é adequado para o bezerro. O de cabra, para o cabrito. O de ovelha, para o carneirinho... O leite desses animais, que consumimos em larga escala, é extremamente gorduroso, e tanta gordura pode afetar o fígado e os rins de seu gato.

Logo, não sirva leite para seu gato.

Segundo, o rato. Gatos são animais que evoluíram de felinos selvagens, como tigres, onças e leopardos. Isso é, felinos que caçam. Logo, seu gato, se não fosse você alimentando ele, provavelmente, caçaria ratos.

Isso não quer dizer que você deva deixar seu gato sem ração, para ele comer ratos!

Ratos são muito contaminados por doenças e substancias químicas, oriundas de poluição e fábricas. Principalmente os urbanos. Também são animais que combatemos com venenos, desde venenos alimentares, até venenos gasosos.

Ou seja, um rato urbano pode passar doenças por seu gato, ou pode envenenar ele.

Assim, o que gatos domésticos comem? A resposta é: ração.

Jantando com meu gato: qual é o menu?

Gatos também podem comer alguns alimentos que seus tutores comem. O principal deles é carne. De preferência, alguma sem osso, e sem gordura.

No caso dos peixes, prefira peixes frescos e levemente cozidos.

No caso de frutas e legumes, prefira aquelas que não são cítricas, como maçãs, melões, mamões, e legumes como cenoura abóbora, brócolis. Folhas, tipo alface, também estão liberadas.

Mas nunca faça desses agrados, a refeição principal de seu gato. Às vezes, você pode estar ofertando os alimentos nas porções erradas.

E antes de fazer isso, claro, converse com seu veterinário. Às vezes, os gatos apresentam sinais de doenças e alergias a algumas comidas, e só o veterinário saberá identificar.

E o que um gato precisa, para ser saudável?

Gatos são, essencialmente, carnívoros. Isso significa que o que eles mais precisam comer são proteínas e ferro.

Por um lado, você não deve simplesmente parar de comprar ração, e só ofertar carne para seu felino. Eles são “essencialmente”: ou seja, a maior parte da dieta deles é composta por proteínas, mas eles também precisam de vitaminas e sais minerais.

A proporção correta de proteínas e outras substâncias, as fontes, e a variedade só são determinadas com exatidão por uma pessoa: o veterinário.

Dessa maneira, antes de adotar qualquer dieta para seu gato, converse com um veterinário. Só ele vai saber indicar as rações mais adequadas pro gato.

Cada gato é um gato único. Literalmente, não só porque eles são nossas fontes de tufos e amor. Há raças que demandam mais de uma substancia que outras. Gatos de diferentes idades precisam de diferentes nutrientes. Gatos com condições de saúde diferentes precisam de rações diferentes.

Você sabe quais comidas os gatos NÃO podem comer, jamais? Confira aqui!

O que é a ração de gato?

Assim, chegamos a um ponto crucial. O que é ração de gato? É simplesmente uma bolinha marrom parecida com uma bolacha, ou ali tem alguma outra coisa?

Primeiro, a ração de gatos é exclusiva para... Gatos! A ração de cachorros, ou outros mamíferos é bem diferente da ração de gatos. Isso acontece porque o organismo dos gatos é bem diferente do organismo de um cachorro, ou outros mamíferos.

Se o seu gato comer uma bolacha de cachorro, de vez em quando, ele não vai ficar doente. Porém, vai ficar desnutrido.

Pense: se você almoçar todo o dia salgadinhos sabor cebola, você será uma pessoa saudável?

Mas o que tem na ração, que é tão diferente assim?

Basicamente, na ração de gatos (e cachorros) há: carne, cereais, e amido ou gelatinas.

O que muda de ração para ração são as proporções, e as funções. Uma ração para gatos com sobrepeso será diferente de uma ração de filhotes. Uma ração para controle de glicemia é diferente de uma ração para controle de colesterol.

E aí, como você escolhe qual ração comprar? Vamos repetir o mantra do Senhor Gato?

“OM... PROCURE UM VETERINÁRIO... OM”.

Ração seca ou ração úmida?

Agora, imagine a situação: você foi ao veterinário, a doutora ou doutor disse que seu bichano está bem. Agora, você irá comprar ração.

Qual escolher? Ração seca ou úmida? E o que é uma ração seca? O que é uma ração úmida?

A ração seca é, basicamente, uma bolacha. A úmida, um patê. Como tudo na vida, elas têm vantagens e desvantagens, e é importante você ponderar todos os pontos antes de optar por uma ou outra. Mas, médicos veterinários, quase sempre vão recomendar você comprar as duas. Vejamos.

Ração seca: vantagens

A vantagem da ração seca é seu custo-benefício. Como elas são “bolachas”, elas são vendidas em uma quantidade maior. Além disso, podem ficar mais tempo na tigela, porque são grãos secos.

Isso as torna mais fáceis de armazenar (e descartar, quando começam a estragar).

Além disso, elas grudam menos nos dentes. Então, a higiene dos gatos fica mais fácil.

Ração seca: desvantagens

Como elas são secas, são mais duras. Isso pode ser um problema para gatos muito jovens (que estão trocando a dentição) ou muito idosos (que perderam os dentes).

Outra coisa, é que sua consistência, seca, pode desagradar ao paladar de alguns gatos, ou mesmo dar uma leve indigestão – mas isso não é comum.

Ração úmida: vantagens

A maior vantagem da ração úmida é sua consistência. Como ela parece um patê ou creme/caldo de carnes, os gatos comem elas com muito mais gosto.

Outra coisa boa é que, por serem úmidas, não só alimentam os gatos. Ela também podem ser uma fonte de hidratação.

Ração úmida: desvantagens

A maior desvantagem da ração úmida é que ela estraga muito rápido, justamente por ser um alimento imerso em um caldo. Assim, se o seu gato não comer ela naquele momento, provavelmente você terá de jogar tudo fora.

E isso é um problema não só pelo desperdício de comida. O custo (elas costumam vir enlatadas, pra durar mais) pode pesar um pouco. E como elas não duram muito depois de abertas, um pote de ração úmida é bem menor do que um de ração seca.

Assim, como você pode ver, o mais importante é você alimentar seu gato. Não existe ração perfeita e o ideal (além de ir ao veterinário com frequência) é você ir equilibrando e variando a ração.

E para comprar rações com um preço muito mais em conta, acesse aqui, e escolha a loja de e-commerce mais perto de você!


O que achou de nosso artigo? Faltou falar de alguma coisa? Ficou alguma dúvida sobre ração de gatos? Tem alguma que você prefira? Alguma que você usou e gostou (ou não gostou)? Conte para nós nos comentários!

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva no nosso newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Continuar Lendo

Em Alta