Gatos

Comunicação felina: tudo sobre a linguagem dos gatos

A comunicação felina é repleta de sinais e sons que os gatos emitem quando querem dar alguma mensagem. Conheça mais sobre ela!

Anúncios

por Aline Mesquita

Publicado em 28/05/2021

Descubra como é a comunicação felina e entenda melhor seu gato!

Comunicação com gatos
Comunicação com gatos

Já pensou em descobrir o que o seu gato está dizendo? Pois a comunicação felina estuda exatamente isso. Ela se volta aos sinais e ruídos que os gatos emitem.

Esses sinais envolvem, principalmente, a linguagem corporal. Os gatos falam – e muito! – através de sua postura, posição e movimento do rabo, orelhas e olhos. Entender o que seu gatinho quer ou o que está sentindo pode ser uma tarefa mais simples do que se imagina!

Para isso, basta conhecer alguns dos principais sinais que eles dão. Eles já foram mapeados por inúmeros especialistas. E saber quais são eles pode mudar completamente a sua relação com o seu gatinho. E para melhor, é claro!

Afinal, considere que com essas informações você pode entendê-lo melhor. Reconhece os momentos em que ele está desconfortável e lhe dá espaço. Igualmente, algum indício de descontentamento ou dor. Isso ajuda a ter o atendimento veterinário o quanto antes.

Ademais, o mesmo se aplica à fome ou à busca de carinho. Quanto a isso, saiba: o seu gato se declara diariamente e pode ser que você está deixando esse ato passar em branco. Por tudo isso, não deixe de conferir, abaixo, como reconhecer a comunicação felina!

Anúncios

Como é a comunicação entre os gatos?

A comunicação entre gatos se dá com o uso de diversas vias. Enquanto algumas são físicas, outras são sonoras. Dessa forma, eles fazem uso de inúmeros recursos. Isso tanto para falar com outros felinos quanto para se comunicar com os humanos!

Por exemplo, considere os seguintes sinais corporais quando eles estão se comunicando com outros gatos:

  • Em caso de possível confronto, o gato tende a arquear as costas para parecer maior;
  • Já ao perceber que a briga vai mesmo acontecer ou que seu blefe está em risco, o gato tende a se baixar. Isso demonstra que ele se prepara para fugir a qualquer momento;
  • Para expressar carinho para outros gatos, os felinos fazem uso das lambidinhas. Isso pode ocorrer, por exemplo, após uma briga com outro gato, como um sinal de paz.

Por outro lado, a comunicação felina para com os humanos, para expressar esses mesmos sentimentos, é diferente em partes. Por exemplo, é comum que gatos demonstrem carinho ao ronronar.

Contudo, muitos deles o fazem com lambidinhas leves. De outro lado, ele expressa medo ou tensão por meio da postura retraída e arqueia as costas ao sentir uma ameaça. Nesse sentido, as formas de se expressar são bastante semelhantes.

O que deve ficar claro é que os gatos fazem uso de diversos meios para se comunicar. Eles incluem a postura, a posição dos olhos e das orelhas e, também, os miados, grunhidos e outros sons. Continue lendo para ver, ao final desse artigo, o que cada movimento e ruído significa.

Problemas de saúde felina

Quem tem um gato não pode perder nossas dicas sobre problemas de saúde felina. Com elas, você previne doenças e garante o bem-estar do bichano!

Como facilitar a comunicação felina entre você e seu gato?

Comunicação felina
Comunicação felina

Existem algumas formas de você, também, passar mensagens ao seu gato. Aprenda, então, como ser fluente em comunicação felina:

  • Como dizer não a um gato: evite usar o mesmo tom de fala de sempre, principalmente o dócil. O felino deve entender que ali ele não é bem vindo (como em um cômodo ou móvel). Para isso, adote um tom incisivo, mas não grite;
  • Chame seu gato para a brincadeira: escolha um tom de voz diferente do seu normal para chamar seu gato às brincadeiras. Mas use-o apenas quando realmente for brincar com ele, assim ele consegue associar a “vozinha” à ação que se propõe;
  • Acostume-o com sinais. Por exemplo, um estalar de dedo o chama para o carinho, enquanto batidinhas com as pontas dos dedos, em móveis ou no chão, os chamam para as brincadeiras.

Anúncios

Entenda a linguagem corporal na comunicação felina

Como se comunicar com um gato?
Como se comunicar com um gato?

Conforme dissemos acima, os felinos são campeões do uso de linguagem corporal. Aqui ela realmente se leva a sério. Existem diversos movimentos e posições que revelam um sentimento ou necessidade. Para entender quais são e o que significam, confira os itens que se seguem!

Orelhas

Veja como as orelhas dos gatos influenciam na comunicação felina! Elas dizem muito sobre o que está se passando com seu amiguinho:

  • Para baixo: tristeza ou medo;
  • Eretas e viradas para frente: alerta;
  • Levemente curvadas e viradas para frente: estou ok e em paz;
  • Eretas e viradas para trás: a caça está pra começar.

Olhos e pupilas

A comunicação felina também faz uso dos olhos para passar mensagens:

  • Pupila dilatada: medo;
  • Piscando um olho ou os dois: carinho e amor;
  • Olhar fixo e sério: desafiador;
  • Olhar fixo e menos sério: curiosidade.

Rabo

O rabo também faz parte da linguagem corporal felina, veja como:

  • Virado para cima e com pelos eriçados: posição de defesa;
  • Eriçado e solto: estou a mil;
  • Entre as pernas: mau humor;
  • Agitado: incomodado com alguma situação;
  • Virado para cima e com os pelos baixos: tranquilidade;
  • Para cima e com a ponta virada para frente: quero interagir.

Sons que o gato faz

Contudo, os sons são parte essencial da comunicação entre gatos e deles para os humanos:

  • Miado curto: Olá;
  • Agudo: dor ou medo;
  • Ronronar: sinal de amor e carinho;
  • Miados excessivos e um pouco mais agudos: fome;
  • Excessivos em tom normal: felicidade.

Postura

Ainda, a postura é outra forma de comunicação felina:

  • Costas arqueadas: sente-se ameaçado;
  • Pelos eriçados com unhas de fora: vou atacar;
  • Deitado de lado: estou descansando;
  • De barriga para cima, deitado ou se esfregando no chão: quero atenção;
  • Retraída: medo.

Contato físico

Por fim, o contato físico também faz parte da comunicação felina:

  • “Amassando pão” (patas para cima e para baixo): me sinto bem aqui;
  • Esfregando-se nas pernas: gosto de você;
  • Esfregando as bochechas: quero carinho;
  • Pequenas lambidinhas: amo você.

Alimentação natural felina

A alimentação natural felina garante ao seu bichano a ingestão de todos os nutrientes dos quais ele precisa. Veja como introduzi-la!

Sobre o autor

Aline Mesquita

Redatora profissional e Analista de Sistemas, apaixonada pela escrita e pelo aprendizado! Especializada em Marketing de Conteúdo e SEO.

Em Alta

content

Cachorro com gases: o que pode ser? Como ajudá-lo?

O cachorro com gases sente um grande desconforto, semelhante ao que os humanos sentem! Por isso, veja como prevenir e melhorar esse problema.

Continue lendo
content

Empreender na área da beleza: como fazer? Veja 8 dicas!

Empreender na área da beleza pode parecer desafiador. No entanto, é mais simples do que você imagina. Clique e saiba mais sobre isso.

Continue lendo

Gatos

Gatos surdos: causas, prevenções e cuidados

Você sabe o que é surdez felina? Sabe como prevenir? Como lidar com um gato surdo? Descubra mais sobre essa condição, e aprenda a cuidar de seu gato surdo.

Um dos problemas menos debatidos, quando a gente pensa em gatos, é a surdez felina. Gatos podem ser ou ficar surdos? A resposta, infelizmente, é que sim, ele podem. A parte mais tranquila é: um gato surdo consegue ter uma vida tão confortável e feliz quanto um gato que ouve.

Porém, você sabe o que é a surdez felina? Como identificar e prevenir? Como lidar com esse problema, se ele acometer o seu amigo? E, a pergunta que todo o tutor de gatos já fez, e que é uns 50% de resultados de pesquisa no Google sobre gatos surdos:

Buscando essas e outras respostas, pesquisamos para vocês. Confiram nessa postagem seu guia definitivo sobre surdez felina!

Surdez felina: o que é?

Quando falamos de surdez felina, estamos diante de duas possibilidades de problemas. A primeira é relativa à anatomia do ouvido do gato; a segunda, à parte neurossensorial do gato. Vejamos:

1. Surdez estrutural

A surdez estrutural diz respeito a alguma alteração na anatomia dos ouvidos do gato. Algum problema do órgão, a bem dizer. As causas podem ser as mais variadas: uma infecção por agente externo (ácaros, bactérias, etc.), a presença de fluídos, pólipos (crescimento anormal de tecido) ou tumores, cicatrizes ou luxações…

A parte “boa” nesse caso, é que esse tipo de surdez (quando identificada cedo) costuma ser temporária, e pode se tratada com remédios, pomadas ou operações. Isso significa que:

Você precisa estar com as visitas ao veterinário em dia! Só esse profissional saberá identificar sintomas de surdez no seu gato!

2. Surdez Neurosenssorial

A surdez neurosenssorial tem esse nome complicado por um motivo: porque ela é relativa aos sensores neurológicos do seu gato. Ou seja, como o cérebro recebe e interpreta informações sonoras.

Esse tipo de surdez é bem mais grave, porque em geral, ela é irreversível, e parte de suas causas pode estar relacionada a anomalias genéticas do gato. Fatores como doenças e exposição do gato a sons muito altos, também podem ser causadores.

Isso significa que existem raças de gato com mais chance de ficarem surdos que outros?

Em parte. Não se trata propriamente de uma raça, mais de um gene que altera algumas características do gato, como a pelagem e os olhos. Como assim?

Na hora da fecundação, um gene, chamado pelos veterinários de W estará presente e, poderá influenciar, mais ou menos, na formação genética dos gatos. Essa influência do gene W pode fazer o gato nascer com os pelos totalmente brancos, os olhos azuis (um ou ambos) e, pode influenciar também no aparelho auditivo do gato.

Então, sim, gatos brancos de olhos azuis tem tendência maior à surdez, que gatos de outra cor. Mas lembre:

Ter tendência não significa regra.

Gatos brancos de olhos azuis, não necessariamente, desenvolverão surdez.

Assim, surge a pergunta: como identificar a surdez em um gato?

Surdez felina: diagnóstico

Diagnosticar a surdez felina nem sempre é fácil. Primeiro, porque às vezes ela é em apenas um ouvido. Segundo, porque às vezes a ação esperada pelo paciente (o gato) não se deve á surdez, mas sim, às variações de humor.

Por esse motivo, o médico veterinário vai pedir uma série de exames que visem identificar sintomas de surdez no gato, ou mesmo o comprometimento total do aparelho auditivo.

Os exames podem incluir otoscopia (um exame do ouvido interno), históricos clínicos, entrevista com o tutor, para identificar comportamentos. Exames em busca de parasitas, bactérias e demais invasores também podem ser requeridos.

Por fim, há um exame chamado BAER, que envolve eletrodos, e serve para medir a atividade elétrica no cérebro – um exame indolor, diga-se de passagem.

O mais importante de lembrar é: se a surdez for temporária, ela pode ser enfrentada. E se ela for definitiva, o veterinário vai saber orientar outros cuidados específicos.

Por isso, você já sabe: Nunca deixe de ir ao veterinário com frequência!

Eu consigo identificar sinais de surdez felina?

Se você tem suspeita, mas não sabe se elas são fundamentadas ou não, se atenha à alguns sinais, que podem indicar que seu gato tem surdez – total ou parcial.

  1. Você chama seu gato pelo nome e ele não responde?
  2. Você chega em casa (faz barulho na porta, com às chaves) e ele não reage?
  3. Acontece algum barulho muito alto (uma freada de carro ou um rojão) e seu gato não se assusta?
  4. Ele parece estar mais sensível aos aromas?

Esses sinais podem indicar algum desvio no sistema auditivo. Mas, como a gente já disse acima, só o veterinário poderá dar um diagnóstico com 100% de precisão.

Meu gato é surdo: e agora?

Se o seu gato for surdo, temporária ou definitivamente, o primeiro passo é não se desesperar. Gatos são alguns dos animais domésticos com a melhor capacidade de adaptação que há.

Pense que seu gato recebe informações sobre o meio que o cerca por vários órgãos. Pelos bigodes, pelos olhos, pela boca, pela pelagem, pelas patas e pelo nariz. Tudo isso é complementado pela audição. Então, se o gato perder uma habilidade, ele vai compensar ela com outras.

Além disso, algumas coisas são essenciais para que seu gato surdo viva bem.

Evite sustos

Seu gato não vai perceber sua presença pelo som, e dar sustos neles (chegar sem ele perceber) vai deixar o bichano amis estressado.

Então, você pode começar a associar sua presença a outras coisas, tipo um perfume, um acender ou apagar de luzes, um brinquedo específico – por exemplo, você joga uma bolinha de pano sempre que quiser chamar a atenção dele.

Reeduque o seu gato

Contrariando o mito de que gatos não podem ser educados e treinados, eles não só podem, como o ideal é que sejam. Onde fazer xixi, onde não ir, o que é proibido…

Com um gato ouvinte, isso fica um pouco mais fácil, porque ele vai associar a palavra “Não” a um comportamento esperado. Com um gato surdo, você vai precisar de outras formas de comunicação.

Prefira expressões faciais, gestos com as mãos, ou a velha técnica de premiar comportamentos (você premia uma ação correta com um petisco).

Como dissemos no artigo sobre adestramento, o spray de água não funciona. Só vai deixar o seu gato irritado, ou com medo. Então, imagine agora, que ele perdeu uma das habilidades, o que significa fazer alguma coisa, e de repente… aquela água gelada!

Mantenha seu gato em segurança

Se antes do gato ficar surdo, sair para a rua já não era recomendado (por conta de doenças, carros, outros animais e pessoas maldosas), agora que ele não ouve é simplesmente proibido.

Seu gato não vai ouvir um latido de cachorros territorialistas, se ele eventualmente pular num quintal. Não vai ouvir um carro, se ele estiver passeando de noite. Não vai ouvir você chamando ele de volta…

Se passear for algo essencial para o seu gato (mas nem sempre é), prefira colocar a coleira nele.

Faça seu gato surdo interagir com outros animais da casa

Se você tiver outros animais em casa, se eles convivem bem com seu gato, o momento é de colaboração.

Promova brincadeiras entre os pets, com brinquedos. Estimule a convivência. Faça o seu gato surdo e os demais pets dividirem os espaços, quando você não estiver presente.

Seu gato surdo vai copiar os outros pets (principalmente se eles forem gatos). Ele vai se guiar pelos outros pets, seja ouvindo você chamar, seja ouvindo uma eventual ameaça.

O mais importante é

Que você se lembre: um gato surdo ainda pode fazer, praticamente, tudo o que um gato não surdo faz. E o principal é amar você (no estilo gato de amar). Para isso, basta que você esteja lá, cuidadoso, dedicado e paciente, pronto para se doar por seu gato surdo.

A surdez felina é um problema. Mas é um problema que seu gato, com sua ajuda e afeição, vai superar rapinho!


E você, já teve ou tem um gato surdo? Como ele ficou surdo? Como foi se adaptar e cuidar dele? Conte para nós nos comentários

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, assine nossa newsletter e fique por dentro do melhor conteúdo do mundo felino!

Você também pode gostar

content

Curso de limpeza de pele online e gratuito: saiba como fazer aqui!

Existem diversas opções de curso de limpeza de pele online e gratuito. Você se profissionaliza facilmente e com zero custos. Saiba mais aqui!

Continue lendo
content

Alimentos tóxicos para gatos: conheça 10 e proteja seu pet!

Existem vários alimentos tóxicos para gatos, como o chocolate, que podem causar vários malefícios para seu gato! Por isso, veja a lista aqui.

Continue lendo