Gatos

As 10 raças de gato mais comuns do Brasil

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Foi-se o tempo que o cachorro era “o melhor amigo do homem”. Ou pelo menos, o único. Isso, porque, hoje ele divide esse posto com os gatos.

Desde 2019, o Brasil tem cerca de 139 milhões de pets, mas, o índice de crescimento maior foi entre eles, os gatos, com um aumento de 8%, contra 5% dos cãezinhos.

Isso significa que, apesar de ainda temos mais casas com cachorros, as pessoas estão adotando mais gatos.

E você, já pensou em adotar um?

Mas antes, você sabe quais são as 10 raças de gato mais comuns no Brasil sabe identificar cada uma delas? Aqui, listamos para você.

Angorá, persa, pelado… São tantas! Leia e se surpreenda com o primeiro lugar!

ANÚNCIOS

10. Sphynx ou Pelado

Raça inusitada, originária do gelado Canadá, foi registrada pela primeira vez em 1966.

Por sua aparência, foi apelidado de Sphynx (Esfinge) por se parecer com os antigos gatos egípcios.

Não é fácil de ser encontrada em criadouros do Brasil, mas está cada vez mais popular.

É bastante desajeitado e, apesar da aparência de agressivo, pela falta de pelos, é extremamente afetuoso, com crianças, inclusive.

Seu porte é médio (até 7 kg) e uma de suas (muitas características) são suas enormes orelhas.

ANÚNCIOS

09. Siberiano

Gato de grande porte (entre 9 e 10 kg), originária da Rússia e, possivelmente, a raça que deu origem a todos os gatos de pelo longo conhecidos hoje em dia.

Apesar de ser uma raça antiga, o gato siberiano só foi classificado como raça, nos anos 80.

Seus pelos enormes ajudam ele a aguentar as baixas temperaturas do norte da Europa, mas, mesmo assim, se tornou uma raça popular no Brasil.

É um gato com musculatura desenvolvida, e é extremamente paciente, inclusive com crianças, mas tem um temperamento calmo até demais.

08. Himalaia

Raça que é cruzamento do gato siamês com outras, e tem como característica o rosto e as patas escuras e os pelos do corpo claros.

O gato himalaio é afetuoso e paciente com crianças, mas tem um comportamento inconstante.

Então, haverá dias que ele vai querer brincar por muitas horas, correr pela casa e mexer em tudo, e em outros ele vai passar um dia inteiro deitado, se mexendo quase nada.

Seus pelos, bem mais longos que o siamês, e fazem ele parecer maior do que é, mas em geral é de médio porte (entre 3 e 5 kg).

ANÚNCIOS

07. Angorá

Uma das raças de gatos mais conhecidas, o angorá, em geral, tem o olho esquerdo de cor diferente do direito e os pelos longos e amarelos ou brancos.

É de porte médio (até 5 kg), mas não deve ficar rechonchudo; por isso, é um gato que precisa escalar e se movimentar, então, deve ter arranhadores com vários andares e passagens, senão, pode ficar obeso ou até com depressão.

O gato angorá, geralmente, é surdo no ouvido do lado da cabeça com o olho azul, e isso é uma falha genética própria da raça.

06. Pelo Curto Inglês

É um gato musculoso, de porte médio 9até 7 kg) e tem suas formas mais arredondadas.

Uma das raças mais populares da Europa, e provavelmente, a mais antiga raça de pelo curto do mundo, o gato inglês de pelo curto costuma ser escalado para filmes, comerciais e fotografias publicitárias por ser tranquilo.

Gosta de brincar, mas não demanda atenção constante, e muitas vezes, gosta de brincar sozinho, sendo ideal para pessoas que moram só, ou em uma casa com poucos moradores.

ANÚNCIOS

05. Persa

Raça de gatos de tamanho médio (até 6 kg), conhecida por ter seu rosto mais achatado, e pelos longos.

Originária do Irã, são animais tranquilos e afetuosos, de forma que são ideais para casas com crianças pequenas.

O gato persa é uma raça caseira, que gosta de brincadeiras tranquilas, mas geralmente prefere ficar horas descansando no sol.

Como é uma raça sem instintos selvagens fortes, exige que sua caixa de areia esteja sempre limpa.

04. Maine coon

Uma das mais populares raças de gato dos Estados Unidos.

É maior raça do mundo (em média pesando 11 kg), e é conhecida por seus pelos longos e suas orelhas com um tufo na ponta, parecidas com a dos linces.

Extremamente inteligente, afetuoso, mas sem excessos, gosta de interagir com sua família, mas evitam contatos com estranhos.

Aprendem truques com facilidade, e diferente de outras raças de gatos, adoram brincar na água, mas os pelos longos dão trabalho, porque exigem a escovação diária.

Gosta de gatos grandes? Confira aqui as 10 maiores raças do mundo!

03. Siamês

Uma das raças de gato mais conhecidas em todo o mundo, sua aparência é característica: pelos mais claros, e patas e rosto mais escuros.

Os olhos, na grande maioria das vezes, de um azul intenso também chamam a atenção.

O siamês tem um porte médio (até 6 kg) e um comportamento afetuoso com crianças e seus donos, e a raça aprende truques com facilidade.

Por outro lado, siameses são extremamente curiosos e, às vezes, podem ser rebeldes, por quererem explorar o ambiente, então, exigem donos atentos.

02. Pelo Curto Americano

A raça mais popular do Estados Unidos, os gatos de pelo curto americano são, geralmente, acinzentados, com listras pretas, e grandes olhos verdes. São de porte médio (até 6 kg), de comportamento afetuoso e tranquilo e muito apegados aos donos.

Por outro lado, são gatos independentes, que conseguem se distrair sozinhos.

Assim, podem viver bem em casas com poucas pessoas, mas sua musculatura forte faz com que ele exija ter arranhadores e brinquedos diferenciados para gastar sua energia, e evitar a obesidade.

01. Pelo Curto Brasileiro

Raça brasileira reconhecida internacionalmente apenas em 1998, é o que se pode chamar um “gato comum”, por ser resultado do cruzamento de várias raças e, por não ter um diferencial na sua aparência.

Tem pelo curto, geralmente, branco no abdômen e porte médio (até 6 kg), mas sua musculatura e sua capacidade de resistir a doenças e outros problemas próprios do ambiente brasileiro fazem a raça ser única.

Suas origens remontam às navegações, quando eram trazidos pelos portugueses, nos navios, para caçarem ratos e, uma vez na terra, eram largados nas ruas.

Por esses motivos, seu comportamento pode ser um pouco imprevisível, porém, os gatos de pelo curto brasileiro são sempre afetuosos e pacientes com seus donos.

É uma raça que se adapta muito bem a apartamentos de qualquer tamanho e, diferente da maioria dos felinos, consegue conviver tranquilamente com outros animais – inclusive cães.

E então? O que você achou dessa lista? Sentiu falta de alguma raça?

Reconheceu os traços do seu gato, nas raças descritas aqui?

Escreva para nós, contando!

E assine nossa newsletter para não perder mais nenhuma postagem!

Escritor e professor. Escreve sobre literatura, poesia, animais, filmes, séries e demais coisas de cultura. Já publicou dois livros de poesia e logo publica mais um.

Animais

10 comidas PROIBIDAS para gatos

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Quem tem um pet, seja um cão ou gato, sabe: os nossos amigos não podem ver a gente comendo, que lá vêm eles, com aqueles olhões de dar dó, como que pedindo uma lasquinha de qualquer coisa. Como se a gente não desse para eles comidas de qualidade e numa quantidade boa, não é verdade?

E nós, que somos donos babões fazemos o que? Damos um pouquinho. Fica até engraçado, nosso amigo peludo pulando e fazendo travessuras, por um pedaço de comida.

Porém, aqui tem um problema: existem comidas que a gente come, mas que para os gatos e cachorros são simplesmente proibidas. Algumas, eles até podem comer de vez em quando, mas, como cada gato é um, é melhor você evitar.

Às vezes, a gente até pode pensar: o gato do vizinho come, porque o meu não pode? Primeiro, você é veterinário, para identificar os problemas de saúde de seu gato? Segundo, você acha mesmo que seu gato merece esse risco? Se as duas respostas forem "não", ais aí o porquê!

Ter um bichinho é amar ele, e amar também é falar não. Então, confira a lista abaixo e se surpreenda com algumas comidas que gatos comem na TV, Livros e cinema, mas que, na verdade, são proibidas para eles.

10. Bebidas alcoólicas

Bebidas alcoólicas são perigosas até para pessoas, vamos falar a verdade. Porém, não vamos ser hipócritas, uma cerveja na sexta-feira, às vezes, é tudo de bom, não é? O problema, é que esse tipo de alimento passa pelo fígado, e o fígado de gatos é diferente.

Logo, quando você dá uma cerveja para seu gato, ele corre o risco de sofrer uma infecção estomacal, desenvolver, com muito mais facilidade, cirrose ou úlcera, entre tantos outros problemas.

Isso não quer dizer que ele não possa beber uma cerveja para gatos. Mas nesse caso, é um produto exclusivamente voltado ao organismo e paladar felino, e, ainda assim, com sua quantidade semanal limitada.

Então, você já sabe: pode fazer um #sextou com seu gato – mas pro bichano, vai ser com água!

9. Chocolate

Chocolates são uma delícia, não é verdade? Porém, chocolates são bons para humanos. Gatos não devem comer chocolates, porque esse doce tem duas substâncias que podem causar muitas doenças pro seu animal.

Primeiro, têm gordura. De leite, de óleo vegetal, de frutas secas e sementes em alguns tipos... Gorduras desse tipo são extremamente nocivas para um gato. Elas podem sobrecarregar o fígado e os rins do seu bichano, causando sérios problemas para ele.

Segundo, têm açúcar. E o açúcar dos doces é sempre açúcar industrial. Assim, seu gato poderá sofrer com hiperglicemia, e, consequentemente, desidratação, problemas cardíacos, problemas renais...

Então, se você quiser dar um agrado para seu bichano, procure rações num petshop, e veja as diversas opções que essa loja oferece!

8. Cebola e alho

Você cozinha? Então você já sabe: cebola e alho possuem substâncias que, cruas, dão uma sensação de queimação na língua e nos olhos, não é verdade? E são justamente essas substâncias que fazem esses alimentos muito mais nocivos para seu gato.

Além de afetar a sensibilidade de seu animal, essas comidas possuem substâncias que atacam, diretamente, o sangue dos peludos, diminuindo a resistência deles a doenças. E a situação não melhora se você cozinhar ou fritar essas comidas, não.

Então, quando você for mexer com cebola e alho, tome cuidado para seu gato não comer nenhuma dessas coisas, e, depois que você terminar, lave bem as mãos, para evitar problemas.

7. Comidas salgadas

O sal deixa tudo mais gostoso, não é? Mas, como no caso dos humanos, o excesso de sal faz mal para gatos. Como eles são bem menores do que nós, a quantia de sal que um humano come, de forma salgada, para um gato pode ser fatal.

Isso porque, como temos falado, seus fígados, rins e demais órgãos do sistema digestivo são muito sensíveis.

Os rins de seu gato poderão ficar saturados com muita facilidade, causando uma intoxicação, caso ele coma, por exemplo, um inocente salgadinho de bacon...

Então, quando seu gato olhar você comendo ovinhos de amendoim, resista: sal faz mal!

6. Café

Quando a gente acorda, qual é o primeiro alimento que comemos? Café. E durante o dia, bate aquela preguiça, o que a gente bebe? Café. Ou seja, o café serve para acordar.

Um gato, porém, não precisa de cafeína. Para ele, vai ser extremamente nocivo, essa dose extra de energia, que o café dá.

Ele vai ficar superagitado, vai ter dificuldades de concentração e movimentação, possivelmente vai sentir muito mais sede do que o normal e, no fim do dia estará exausto, e irritado.

Então, na hora do cafezinho, sirva para seu gato uma água filtrada, que ele vai ficar muito mais feliz!

Você sabe qual planta você não pode ter em uma casa com gatos? Acesse aqui e descubra!

5. Comidas gordurosas

Fígado, abacate, bacon, presunto... Comidas deliciosas. Porém, são extremamente gordurosas, mesmo no caso do abacate, que é gordura boa. Logo, são proibidas para o seu gato.

O excesso de gordura vai sobrecarregar o fígado e os rins do bichano, poderá causar obesidade, hipertensão, gerar problemas cardíacos...

Esqueça a imagem do gato selvagem, caçando suas presas nas sombras. Gatos domésticos têm um sistema digestivo diferente, então, não é todo o tipo de carne que seu animal pode comer.

Por isso, prefira, sempre, os alimentos próprios para gatos!

4. Ovos

Seguindo a lógica dos alimentos gordurosos, gatos não podem comer ovos. Esqueça a ideia do seu gato como um caçador que ataca ninhos: esses são gatos selvagens, além disso, um ovo de passarinho é bem menor do que um de galinha.

Além de serem gordurosos, e potencialmente fatais para o fígado de seu gato, ovos crus podem transmitir doenças como a salmonela, e você não quer seu pet doente, não é?

Então, como sempre, prefira rações especificas para gatos.

3. Peixe cru

Gatos não podem comer peixe cru? Pois é! Muita gente associa gatos e peixes, mas você sabia que eles não devem ser oferecidos (com frequência) ao seu bichano?

Gatos de rua até comem peixes crus, mas lembre que esses bichanos estão abandonados, então precisam se virar com o que tem. Isso não significa que eles têm mais saúde que um gato doméstico. Por isso, sob orientação do veterinário, você pode dar um peixe para seu gato, mas tomando muitos cuidados.

Peixes crus têm, ainda, alguns problemas que para humanos não é tão grave: podem ter ossos que não percebemos, podem estar começando a estragar, podem estar contaminados com mercúrio...

Peixes, então, só os dos petshops – comprados na seção de rações, a gente quer dizer!

2. Peixes enlatados

Seguindo a lógica dos peixes e das comidas gordurosas, peixes enlatados podem ser fatais para o seu gato.

Além de ter toda a gordura e, às vezes, algum osso ou espinha, peixes enlatados têm óleos vegetais e conservantes.

Óleos vegetais, sendo gordura, atacam o fígado, rins e outros órgãos do sistema digestivo de seu animal.

Por suas vez, os conservantes são, de forma geral, um monte de sódio combinado com outras substâncias, que evitam de a comida estragar. E sódio (componente principal do sal) vai fazer seu gato salivar demais, e possivelmente vai atacar seus rins.

Então, resista aos miados de seu gato, desesperado pela sardinha que você acabou de abrir. Prefira um petisco sabor peixe, comprado no petshop, que o bichano vai gostar muito mais!

1. Leite e derivados

Como assim, leite? Pois é! Gatos, como todos os outros animais, exceto humanos, não toma leite depois do desmame.

A imagem do gato com um pires de leite é um clássico. Mas está errada, porque o leite, além da gordura, tem a lactose, e gatos podem desenvolver intolerância.

E como acontece com seres humanos, a intolerância a lactose pode gerar problemas estomacais dos mais diversos. Do mais leve (excesso de gases), a alguns mais pesados, como diarreias ou vômitos.

Então, esqueça a cena do gato com um pires de leite! Se você tem uma gatinha e os filhotes dela pararam de mamar, comece a oferecer rações. Leite, só o materno, enquanto o filhote quiser.

Extra: comida de cachorro

Muitos tutores de animais inexperientes ofertam comida de cachorro pra seus gatos, e vice-e-versa. Às vezes, a pessoa cria gatos e cachorros, acaba a comida de um, e aí  o tutor oferece a comida do outro.

Se for o caso, e você só tiver ração de cachorro naquele momento, ofereça. Mas depois, imediatamente, vá pro petshop comprar mais.

Isso, porque as rações de cachorros são pensadas para... Cachorros. Seu gato não é um cachorro, isso é, o corpo, o sangue, os órgãos e as substancias estomacais do seu gato são bem diferentes das de um cachorro.

Assim, se o seu gato comer comida de cachorro, o que pode acontecer é ele começar a sofrer de inanição, anemia, doenças ósseas ou estomacais e outros problemas causados por desnutrição.

Então, já sabe: pro seu gato é só ração de gato!


E você, já deu alguma dessas comidas pro seu gato? Como ele reagiu? Ele come bem, come mal? Faltou falarmos alguma coisa? Escreva nos comentários.

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva na nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Continuar Lendo

Em Alta