Cachorro

8 alimentos do tóxicos para cachorros: Veja!

Você sabe quais são os alimentos tóxicos para cachorros? Pois se você tem cães em casa, não deixe de conferir o que eles não devem comer!

Anúncios

Descubra quais alimentos podem ser tóxicos para cachorros

Alimentos tóxicos para cachorros
Alimentos tóxicos para cachorros

Existem diversos alimentos tóxicos para cachorros. E alguns deles, apesar de parecerem inocentes, podem levar a reações adversas. Inclusive, até mesmo à morte.

Por isso, é essencial conhecer quais são os alimentos que são prejudiciais ao seu pet. Com isso, você evita que ele consuma ingredientes e produtos que são tóxicos a eles. E isso, aliás, é crucial para a segurança e bem-estar do pet.

Isso é importante para saber o que você oferecerá ao cão. Igualmente, para saber o que não deixar à disposição, ou seja, à vista. Afinal, sabemos que o pet age por meio de impulsos. Assim, aquele alimento esquecido sobre a mesa pode ser uma grande tentação. E, igualmente, a fonte de acidentes que podem ser fatais.

Por isso, não deixe de continuar lendo para conferir quais são os alimentos tóxicos para cachorros. Com isso, garanta que o seu pet ficará longe deles e que a ingestão desses produtos se torne algo impossível.

Dessa forma, não deixe de conferir e garanta o bem-estar do seu companheiro de quatro patas. Listamos alguns ingredientes que fazem mal aos cachorros e, também, os motivos pelos quais o fazem.

Anúncios

O que um cachorro não pode comer de jeito nenhum? Veja 8 alimentos tóxicos!

Alimentos tóxicos para cachorros
Alimentos tóxicos para cachorros

Abaixo, confira uma lista completa com alimentos que devem ficar longe do seu pet. Assim, tenha cuidado até mesmo ao deixá-los à disposição sobre superfícies. Confiar no controle do seu cão não é a coisa mais indicada quando falamos de alimentos. E isso piora quando estamos analisando aqueles que são tóxicos.

Chocolate

Em primeiro lugar, um dos alimentos tóxicos para cachorros é o chocolate. Ele é um dos mais famosos da nossa lista e isso não é à toa. O consumo desse doce pelos cães pode inclusive levá-los a óbito.

Isso decorre do fato de que o chocolate contém teobromina, um elemento muito nocivo aos cães. Ele é capaz de interromper os processos do metabolismo dos cachorros. Assim, pode desencadear problemas cardíacos, estomacais, convulsões ou até a morte.

Por isso, jamais deixe chocolate à disposição do seu cão. Isso pode levar a resultados negativos e ser muito nocivo.

Anúncios

Uva e passas

Em segundo lugar, outros alimentos que são tóxicos aos cachorros são as uvas e as passas feitas dessas frutas. Apesar destes serem alimentos que são banidos da dieta canina, ainda não se sabe qual é o motivo disso.

Isto é, os veterinários já identificaram essas frutas como nocivas aos cães. Mesmo assim, eles não sabem dizer, ao certo, qual substância ali presente é tóxica aos caninos. O que se tem são reações estomacais e até mesmo o desencadeamento de doenças renais.

Dessa forma, essas frutas devem ficar longe do seu pet. Mesmo sem cascas ou sementes, elas continuam tóxicas e requerem cuidados.

Xilitol

Alimentos tóxicos para cachorros
Alimentos tóxicos para cachorros

O xilitol é um adoçante artificial que está presente em inúmeros doces. Por exemplo, em gomas de mascar e em outros produtos adocicados comuns no mercado. E ele faz mal ao organismo dos cães.

Por isso, o xilitol também compõe a lista dos alimentos tóxicos para cachorros. Mas qual é o motivo? O consumo dessa substância pode levar ao inchaço abdominal. Também, aos gases e à diarréia. Ainda, pode levar a outras reações mais graves.

Abacate

Outra fruta que está proibida na dieta canina é o abacate. A fruta, famosa por ser rica em gorduras, pode obstruir o funcionamento do fígado do cão. 

Da mesma forma, essas frutas também oferecem perigo no caroço, casca e folhas, que contêm persina. Ela, por sua vez, causa reações estomacais, como vômitos. Igualmente, intestinais, como é o caso da diarréia em cães.

Café

Não só o café, mas os demais produtos com cafeína, são nocivos aos cães. Nesse caso, os efeitos nocivos se referem ao fato de que os cachorros são bastante ativos. Assim, a hiperatividade causada pela cafeína pode gerar desconfortos.

Alimentos tóxicos para gatos e cachorros

Existem alguns alimentos tóxicos para gatos e cachorros que merecem a atenção de todos os tutores de pets. Conheça quais são e previna acidentes!

Leite

O leite, bem como seus derivados, são alimentos tóxicos para cachorros. Nessa hipótese, as causas são bastante parecidas ao que faz com que os gatos também não devam consumir esse tipo de alimento.

É muito comum recorrer à noção errada de que mamíferos necessitam beber leite. Em verdade, isso é necessário na infância. No caso dos cães, enquanto filhotes, com o leite materno. Porém, depois do desmame, o leite de vaca não é indicado.

Isso se deve ao fato de que os cachorros, durante o crescimento, desenvolvem intolerância à lactose. Isto é, deixam de produzir as enzimas que são capazes de quebrar a proteína do leite. Assim, queijos, cremes e o próprio leite está proibido aos cães.

Alho e cebola são alimentos tóxicos para cachorros

O alho e a cebola são outros dos alimentos tóxicos para cachorros. Esses são temperos comuns na dieta humana. Contudo, causam efeitos negativos ao corpo dos cães. Isso ocorre na medida em que possuem substâncias que combatem e danificam as hemácias.

Aliás, isso ocorre se o alho ou a cebola estiverem cozidos ou crus. Em qualquer dos casos, o alimento ainda é tóxico ao organismo canino. Portanto, jamais deixe-os à disposição. Igualmente, nunca tempere a carne que será oferecida ao cão.

Frituras

Por fim, o seu cão também deve ficar longe de frituras. Afinal, produtos gordurosos são alimentos tóxicos para cachorros. Dentre os riscos que oferecem estão a possibilidade de desenvolvimento da obesidade canina.

Igualmente, os alimentos gordurosos também podem gerar problemas ao pâncreas. Com isso, o cão corre o risco de desenvolver pancreatite, uma doença grave.

O que fazer caso o cão consuma alimentos tóxicos para cachorros?

Mesmo com todos os cuidados, não estamos livres de acidentes. E, além disso, sabemos que os cães são rápidos e que para aprontarem ou fazerem bagunça é uma questão de segundos.

Por isso, é importante saber o que fazer no caso do consumo de um alimento contraindicado. Nessa situação, o melhor a fazer é contatar imediatamente o médico veterinário. Dessa forma, ele dará as instruções.

Muitas vezes basta observar a reação do seu cão. Em outras, é preciso ir ao consultório para exames e, até mesmo, para uma lavagem estomacal. 

10 comidas PROIBIDAS para gatos

Quem tem um pet, seja um cão ou gato, sabe: os nossos amigos não podem ver a gente comendo, que lá vêm eles,, mas existem comidas que fazem muito mal!

Sobre o autor

Aline Mesquita

Redatora profissional e Analista de Sistemas, apaixonada pela escrita e pelo aprendizado! Especializada em Marketing de Conteúdo e SEO.

Em Alta

content

Maquiagem para pele com sardas: veja 10 dicas simples!

A maquiagem para pele com sardas tem alguns cuidados adicionais, para que as sardas sejam realçadas. Por isso, veja aqui algumas dicas!

Continue lendo
content

Quer ter um cão? Entenda as vantagens e desvantagens!

Criar um cão não é tarefa fácil, então para ter certeza de que você deve adotar, confira as vantagens e desvantagens de ter um cão!

Continue lendo
content

Alergia alimentar em gatos: como identificar e tratar?

A alergia alimentar em gatos pode ser um grande problema, principalmente se ela não for diagnosticada a tempo. Saiba mais aqui!

Continue lendo

Gatos

Quais são as doenças que atacam os gatos? Descubra aqui

Antigamente, quando não existiam vacinas, humanos e animais ficavam sujeitos ao risco constante de contraírem doenças, e morrerem.

Hoje, a boa notícia é que a maior parte dessas doenças podem ser evitadas com a vacinação correta.

Tanto humanos, quanto pets, como cães e gatos, ou animais utilitários, como vacas e cavalos devem seguir um calendário de vacinação que, ao contrário dos mitos, protegerão você e seu animal dessas doenças.


Assim, é muito importante que você sempre leve seu gato ao veterinário, e siga corretamente todas as orientações sobre vacinas.

Dessa forma, você protege seu amigo de quatro patas, e também você e sua família – afinal, algumas doenças que atacam os gatos podem acatar pessoas, também!

Porém, você sabe que doenças são essas? Como evitar elas? Quais são os sintomas?

Nós, do Senhor Gato, fomos atrás dessas respostas.

Confira aqui no post e garanta que todas as 7 vidas de seu felino estejam bem garantidas!

ATENÇÃO: Esta postagem não substituí uma consulta ao veterinário. As informações trazidas aqui são gerais, e servem apenas para uma informação básica.
Cada animal é único, e às vezes, os sintomas de uma doença aparecem em um gato, mas não aparecem em outro. Para saber mais, consulte seu veterinário de confiança.

Ancilostomíase

O que é: Doença que ataca o intestino dos gatos, transmitida por parasitas, e afeta animais de qualquer idade, podendo levar a morte. Pode atacar seres humanos.
Como é transmitida: Água contaminada; alimentos contaminados; transmissão pela pele; transmissão pelo leite.
Sintomas: Anemia; fezes escuras, mucosas esbranquiçadas.
Diagnóstico: Exame de fezes.
Prevenção: A prevenção acontece com a limpeza adequada do ambiente onde o gato vive, limpeza adequada do animal, quando ele sair e voltar de casa, filtragem da água, e lavagem correta dos alimentos frescos.
Tratamento: Por meio de remédios, vermífugos e mudanças na dieta. Apenas o veterinário poderá determinar o tratamento mais adequado.

Chlamydia felis

O que é: Uma bactéria que causa conjuntivite em gatos e pode atacar outros sistemas, como o reprodutivo. Pode ser transmitida para seres humanos, mas são casos raros.
Como é transmitida: Água contaminada, secreções contaminadas, contato próximo, fezes e urina contaminadas.
Sintomas: Conjuntivite, como ou sem sinais de rinite, secreções nasais, espirros, febres e perda de peso.
Diagnóstico: Exames de sangue, fezes e similares.
Prevenção: Pela vacinação polivalente para felinos, dada em três doses em períodos específicos da vida do gato, e pela higienização adequada do ambiente aonde o gato vive – Lembrando: apenas o veterinário poderá dizer qual é a melhor vacina e quando ela deve ser aplicada.
Tratamento: Remédios específicos para gatos. O tratamento deve ser feito por um veterinário capacitado.

Calicivirose

O que é: Doença viral que ataca o sistema respiratório dos gatos. É uma doença altamente contagiosa, e de fácil transmissão. Não é transmitida para seres humanos.
Como é transmitida: Pelo contato com saliva ou fezes contaminadas, pela proximidade com gatos infectados, através das vias respiratórias, por contato com brinquedos ou outros objetos que os gatos infectados tocaram.
Sintomas: Tosses, espirros, diarreia, febres, corrimentos nasais, falta de apetite, feridas na boca.
Diagnóstico: Exames de sangue, fezes e similares.
Prevenção: Pela vacinação polivalente para felinos, dada em três doses em períodos específicos da vida do gato, e pela higienização adequada do ambiente aonde o gato vive – Lembrando: apenas o veterinário poderá dizer qual é a melhor vacina e quando ela deve ser aplicada.
Tratamento: Remédios específicos para gatos. O tratamento deve ser feito por um veterinário capacitado.

Doença da arranhadura

O que é: Doença bacteriana de gatos, transmitida por arranhões, mordidas, e mordidas de insetos como pulgas. Pode ser transmitida para seres humanos, mas sem grandes sintomas.
Como é transmitida: Por arranhões, mordidas e mordidas de insetos.
Sintomas: Manchas na pele, febre, mal-estar, perda de peso.
Diagnóstico: Exames de sangue, fezes e similares.
Prevenção: Pela vacinação polivalente para felinos, dada em três doses em períodos. Lembrando: apenas o veterinário poderá dizer qual é a melhor vacina e quando ela deve ser aplicada.
Tratamento: Remédios específicos para gatos. O tratamento deve ser feito por um veterinário capacitado.

Leucemia felina

O que é: Doença extremamente letal para os gatos, é causada por um vírus, capaz de desenvolver linfomas, leucemia ou doenças degenerativas. Não afeta seres humanos.
Como é transmitida: Pelo contato com saliva, secreções nasais, fezes e urina contaminadas. Não é transmitida por arranhões ou por vias aéreas.
Sintomas: Os sintomas são variados, e alguns gatos não apresentam nenhum. Alguns dos sintomas mais comuns são anemias e linfomas.
Diagnóstico: A doença é identificada através de um teste específico, chamado ELISA. Em caso de positivo, o ELISA precisa ser repetido, depois de 30 dias.
Prevenção: A leucemia felina é prevenida com vacinação, mas a vacina não é 100% eficaz. Gatos que vivam em um ambiente higiênico, e com dieta adequada se tornam mais resistentes.
Tratamento: A leucemia felina é incurável, mas pode ser controlada com uma dieta balanceada, e cuidados para que o gato não se infecte com nenhuma outra doença. Existem casos em que o gato vive muitos anos com a doença, e casos raros em que o vírus é eliminado.

Panleucopenia felina

O que é: Doença viral que ataca os sistemas digestivos e respiratório de gatos, e em alguns casos, a medula óssea. Não afeta humanos.
Como é transmitida: Pelo contato com saliva, secreções nasais, fezes e urina contaminadas.
Sintomas: Diarreias, vômitos, desidratação, febres e sensibilidade no abdómen. Pode ser transmitida da mãe para o filhote, e os gatos afetados nascem com más-formações ou problemas no sistema nervoso central.
Diagnóstico: Exames de sangue, fezes e similares.
Prevenção: Pela vacinação polivalente para felinos, dada em três doses em períodos específicos da vida do gato, e pela higienização adequada do ambiente aonde o gato vive – Lembrando: apenas o veterinário poderá dizer qual é a melhor vacina e quando ela deve ser aplicada.
Tratamento: O tratamento costuma ser difícil de ser realizado e caro. O gato infectado vai receber reposição de fluídos e antibióticos. O tratamento deve ser feito por um veterinário capacitado.

Raiva

O que é: Doença viral rara em gatos, mas quase sempre fatal para esses animais. Ataca o sistema nervoso central e fazendo o animal perder o controle sobre alguns comportamentos. Pode ser transmitida para seres humanos, e ser fatal para pessoas, também.
Como é transmitida: Por mordidas, através da saliva infectada.
Sintomas: Além da tradicional espuma na boca, os sintomas incluem, mudanças de comportamento, espasmos, tremores, estrabismo, fotofobia (aversão à luz ou a lugares iluminados) e desorientação.
Diagnóstico: Não é possível fazer um diagnóstico da raiva, com o gato vivo. Porém, o veterinário consegue identificar, no animal, sinais de raiva, observando os sintomas.
Prevenção: Pela vacina antirrábica, dada em nos primeiros meses de vida. Lembrando: apenas o veterinário poderá dizer qual é a melhor vacina e quando ela deve ser aplicada.
Tratamento: Não existe um tratamento eficiente para a raiva em gatos. Só a vacina previne a raiva com sucesso de quase 100%.

Rinotraqueíte (gripe felina)

O que é: Doença viral que ataca gatos, de forma parecida com a gripe humana. Porém, não é contagiosa para seres humanos.
Como é transmitida: Pelo contato com saliva, secreções nasais, fezes e urina contaminadas.
Sintomas: Parecidos com os da gripe humana. Pode acontecer espirros, conjuntivites, dificuldades para respirar, infecções no pulmão e traqueia e rinites.
Diagnóstico: Exames clínicos de secreções nasais e saliva.
Prevenção: Pela vacinação polivalente para felinos, dada em três doses em períodos específicos da vida do gato, e pela higienização adequada do ambiente aonde o gato vive – Lembrando: apenas o veterinário poderá dizer qual é a melhor vacina e quando ela deve ser aplicada.
Tratamento: Remédios específicos para gatos. O tratamento deve ser feito por um veterinário capacitado.

Toxoplasmose

O que é: Doença causada por um protozoário. Pode ser transmitida para todos os animais, incluindo seres humanos, mas apenas os gatos se tornam hospedeiros.
Como é transmitida: Água contaminada; alimentos contaminados.
Sintomas: Variável, dependendo da idade do gato. Em filhotes, os sintomas mais comuns são vômitos e diarreias. Em gatos mais velhos, pode acontecer tosses, icterícia (pele amarela) febres e dores musculares.
Diagnóstico: Exames de sangue, fezes e similares.
Prevenção: A prevenção acontece com a limpeza adequada do ambiente onde o gato vive, limpeza adequada do animal, quando ele sair e voltar de casa, filtragem da água, e lavagem correta dos alimentos frescos.
Tratamento: Por meio de remédios e mudanças na dieta. Apenas o veterinário poderá determinar o tratamento mais adequado.

Seu gato já teve alguma dessas doenças? Faltou falarmos alguma informação? Conte para nós como foi.

Tire suas dúvidas nos comentários.

E, para não perder mais nenhuma publicação, se inscreva na nossa newsletter para receber sempre as atualizações do Senhor Gato no seu e-mail.

Você também pode gostar

content

Curso de maquiagem da Quem disse Berenice: como é?

O curso de maquiagem da quem disse berenice é um curso maravilhoso, com várias técnicas e material de qualidade para aprender! Veja mais aqui

Continue lendo
content

Curso Sobrancelhas Perfeitas: conheça o curso online!

O curso Sobrancelhas Perfeitas é um método único e simples que conta com 18 módulos capazes de garantir a agenda cheia! Veja tudo sobre ele!

Continue lendo
content

App Make You: conheça mais sobre ele aqui!

O app Make You é ideal para você que gosta de variar na aparência e testar várias tendências de moda! Saiba mais sobre isso aqui.

Continue lendo