Gatos

6 dicas para adestrar seu gato

por

Lucas Silva

Publicado em

Uma coisa que a ciência descobriu só nos últimos anos, mas a gente que tem gatos, sempre soube é: gatos e cachorros têm uma inteligência parecida. Isso é, gatos aprendem a pular, abrir coisas, têm memórias, sabem reconhecer alguns sentimentos…

Assim, gatos também podem ser adestrados. Tanto para fazer truques engraçadinhos, quanto para não fazer coisas desagradáveis, tipo xixi no carpete. Porém, alguns tutores, mesmo mais experientes e vividos, ainda sofrem para ensinar seus felinos.

Isso acontece, porque os gatos são tão inteligentes, quanto independentes. Lembra dos grandes felinos: onças leopardos, tigres? São caçadores solitários. E essa solidão está no sangue do seu gato

Ou seja: adestrar não é simplesmente você falar com o gato, e ficar dando biscoitos. Adestrar um gato exige técnicas. Aqui vamos mostrar a 6 principais que, tenho certeza, vão ajudar a fazer seu pequeno leão virar o tufo de pelos carinhoso que ele, na verdade, é.

ANÚNCIOS

Mas antes: por que adestrar?

Quem pensa que adestrar um animal é só ensinar ele a sentar e pegar um brinquedo, está enganado! Adestrar é muito mais do que isso.

Primeiro, quando adestramos um gato ou cachorro, estamos ensinando a ele comportamentos e regras de conduta e convivência. ou seja, quando adestramos, estamos ensinando ele a “falar” e a entender melhor o que a gente diz.

Segundo, quando adestramos, estamos pondo limites no animal. Quem tem um gato sabe: se o felino não for adestrado, ele vai mexer em tudo, até onde não deve.

Terceiro, adestrar seu gato vai ajudar ele a se adaptar melhor, à casa e à rotina, depois da castração. Sem estímulos hormonais, o gato não vai agir de forma selvagem; Por outro lado isso não significa que ele vai estar manso e obediente.

Então, o adestramento é importante, SIM!

06. Saiba convencer o seu gato

Adestra um gato não é tarefa simples. Se você pensar num tigre, você entende os motivos. Tigres são independentes. Eles não se juntam em grupos esperando o líder dizer como agir, quem atacar, onde ir.

Quem faz isso são os lobos, que vivem em alcateias.

Um gato é quase um tigre. O gato doméstico têm suas origens em felinos selvagens, que, por sua vez, vêm de grandes felinos. E todos eles são animais solitários, em alguma medida, e independentes.

Ou seja, dar ordens ao seu gato não vai funcionar.

Para você convencer seu gato fazer alguma coisa, a regra é o fazer perceber que aquela ação é vantajosa. E nesse caso, não é só vantajoso em termos de petiscos.

Abraços, brinquedos, afagos, e sorrisos também contam para o gato. Então, valorizar uma ação com agrados vai mostrar que essa ação vale à pena.

05. Ensine aos poucos

Não adianta nada você reclamar que seu gato não te obedece, se você não for aos poucos. O gato é inteligente, mas não é um gênio. Nem nós somos. A gente precisa ir devagar. O gato também.

Comece ensinando onde o gato deve fazer xixi. Não é tão engraçado você dizer “Meu gato sabe exatamente onde é a caixa de areia”, quanto seria “Meu gato sabe abrir o armário de comidas”. Mas prioridades vêm primeiro.

Comece com coisas simples, como os locais do xixi, lugares onde ele não deve ir, coisas que ele não deve morder.

04. Não seja bravo demais

Quando vamos adestrar um gato, assim como a um cachorro, não devemos ser bravos demais. O cachorro ainda tem o senso de grupo na sua genética. Isso quer dizer que ele aguenta melhor ouvir uns “Nãos” gritados.

O gato não. Por ser um animal muito independente, ele não vai entender seus gritos, tanto, como uma forma de educação. Antes, vai ficar bravo, com a sensação que você vai atacar ele.

Logo, ele uma hora vai te atacar primeiro e, rapidinho, se esconder.

Ficar um pouco bravo, dar uns gritos, esboçar um rosto de desagrado é importante. Logo, o gato entende que você não vai aceitar tudo. Mas também, não guarde rancor por muito tempo – dessa forma, o gato entende que aquela bronca foi por causa daquela ação.

Seu gato mia quando está feliz? Ou só quando está triste? Descubra sobre os miados dos gatos.

03. Só dê broncas no momento exato do erro

Continuando o tópico anterior. Quando você for adestrar seu gato, só dê a bronca quando o erro acontecer.

Os gatos não pensam, tanto, de forma sequencial, quanto nós. Por exemplo, se o felino fizer xixi no tapete e logo depois, for morder um brinquedo, não fique bravo, porque animal vai achar que é pelo brinquedo. E não pelo xixi.

E, de novo, não guarde rancor. O gato não vai ficar no canto dele, remoendo-se de raiva, ele vai fazer outra coisa. Essa outra coisa pode, e deve, ser elogiada, para o felino perceber que ações diferentes levam a reações diferentes.

02. Dê petiscos

Um dos melhores elogios, quando você for adestrar seu gato, é pelos petiscos. Não os grãos de ração, mas um biscoito, com sabor diferenciado.

Não use a comida diferenciada como ração. E nem gaste ela com qualquer coisa. Se o gato está parado, você não precisa dar um biscoito. Vai parecer que estar parado é algo bom, e esse comportamento vai ser repetido.

Dê petiscos quando vocês estiverem brincando. Quando você precisar que ele se afaste (quando você estiver no celular escrevendo um comentário pro Senhor Gato, e seu felino vier sentar, justamente, no teclado). Quando você precisar sair, e o gato vai ficar.

O petisco é um estímulo. Como você vai querer estimular seu bichano?

01. Elogie

Pode não parecer, mas gatos entendem variações no nosso tom de voz. O som de uma fala brava é diferente de um elogio.

Use isso ao seu favor. Não que seu gato vá entender o significado das palavras. Contudo, o somo de um elogio será melhor pro ouvido dele, que o som de um berro.

Ele não se sentirá ameaçado, se você não gritar. Vai se sentir querido, aceito, seguro, tranquilo.

Sua voz de elogio será tipo um código, de que ali, agindo daquela forma, ele não estará sob risco de “ataque”.

Bônus: Use o spray educador para gatos – evite o famoso “borrifão de água”

Evite o famoso borrifão de água. Tradicionalmente, falava-se em espirrar água na cara de cães e gatos que fizessem alguma bagunça.

Esqueça.

Borrifar água fará seu animal ficar com medo, estressado, e mais esperto na hora de fazer o erro (no sentido de que ele esconderá melhor o “ônus da prova”). Pior, talvez faça seu animal ficar bravo, quando você tentar dar um banho.

Por outro lado, os sprays educadores podem te ajudar. São líquidos com perfumes naturais (alecrim, menta, etc.), mas que os gatos não gostam, e em fórmulas antialérgicas para eles.

Esse recurso não é, simplesmente, molhar seu gato com o perfume. É molhar a área a ser evitada. Um espirro do spray no pé da sua estante de livros e pronto – por algumas horas, ou dias, o bichano não vai querer subir lá.

Compre aqui.

E você, já adestrou seu gato? Achou difícil? Fácil? Conte para nós como foi essa experiência! E sobre as técnicas, o que você achou? Faltou falarmos alguma coisa? Escreva nos comentários.

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva na nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Escritor e professor. Escreve sobre literatura, poesia, animais, filmes, séries e demais coisas de cultura. Já publicou dois livros de poesia e logo publica mais um.

Animais

Ração para gatos: o que é e como escolher a mais adequada pra seu felino?

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Quem tem um gato sabe, quando é hora de comprar a ração do seu felino, você nunca tem muita certeza sobre qual escolher. Existem rações úmidas, secas, com carne, com legumes, para diminuir a glicose, para manter o peso, para gatos seniores... São MUITAS!

Logo, qual escolher? Como saber do que seu gato precisa, o que ele pode comer, qual ele vai gostar?

Procurando descobrir sobre a alimentação dos gatos, fomos atrás de algumas informações. Então, descubra aqui seu guia definitivo sobre a alimentação dos gatos!

Nem leite, nem ratos: o que um gato (doméstico) come?

Quando pensamos em um gato comendo, duas imagens vêm à nossa cabeça: leite e ratos. Se a primeira está errada (pasmem), a segunda é verdade, mas não é recomendado.

Por quê?

Primeiro, o leite. Gatos são mamíferos. Porém, são mamíferos apenas do... Leite de suas mães. Depois que eles entram na fase do desmame, seus corpos vão retirar o cálcio de outros alimentos.

O leite de vaca é adequado para o bezerro. O de cabra, para o cabrito. O de ovelha, para o carneirinho... O leite desses animais, que consumimos em larga escala, é extremamente gorduroso, e tanta gordura pode afetar o fígado e os rins de seu gato.

Logo, não sirva leite para seu gato.

Segundo, o rato. Gatos são animais que evoluíram de felinos selvagens, como tigres, onças e leopardos. Isso é, felinos que caçam. Logo, seu gato, se não fosse você alimentando ele, provavelmente, caçaria ratos.

Isso não quer dizer que você deva deixar seu gato sem ração, para ele comer ratos!

Ratos são muito contaminados por doenças e substancias químicas, oriundas de poluição e fábricas. Principalmente os urbanos. Também são animais que combatemos com venenos, desde venenos alimentares, até venenos gasosos.

Ou seja, um rato urbano pode passar doenças por seu gato, ou pode envenenar ele.

Assim, o que gatos domésticos comem? A resposta é: ração.

Jantando com meu gato: qual é o menu?

Gatos também podem comer alguns alimentos que seus tutores comem. O principal deles é carne. De preferência, alguma sem osso, e sem gordura.

No caso dos peixes, prefira peixes frescos e levemente cozidos.

No caso de frutas e legumes, prefira aquelas que não são cítricas, como maçãs, melões, mamões, e legumes como cenoura abóbora, brócolis. Folhas, tipo alface, também estão liberadas.

Mas nunca faça desses agrados, a refeição principal de seu gato. Às vezes, você pode estar ofertando os alimentos nas porções erradas.

E antes de fazer isso, claro, converse com seu veterinário. Às vezes, os gatos apresentam sinais de doenças e alergias a algumas comidas, e só o veterinário saberá identificar.

E o que um gato precisa, para ser saudável?

Gatos são, essencialmente, carnívoros. Isso significa que o que eles mais precisam comer são proteínas e ferro.

Por um lado, você não deve simplesmente parar de comprar ração, e só ofertar carne para seu felino. Eles são “essencialmente”: ou seja, a maior parte da dieta deles é composta por proteínas, mas eles também precisam de vitaminas e sais minerais.

A proporção correta de proteínas e outras substâncias, as fontes, e a variedade só são determinadas com exatidão por uma pessoa: o veterinário.

Dessa maneira, antes de adotar qualquer dieta para seu gato, converse com um veterinário. Só ele vai saber indicar as rações mais adequadas pro gato.

Cada gato é um gato único. Literalmente, não só porque eles são nossas fontes de tufos e amor. Há raças que demandam mais de uma substancia que outras. Gatos de diferentes idades precisam de diferentes nutrientes. Gatos com condições de saúde diferentes precisam de rações diferentes.

Você sabe quais comidas os gatos NÃO podem comer, jamais? Confira aqui!

O que é a ração de gato?

Assim, chegamos a um ponto crucial. O que é ração de gato? É simplesmente uma bolinha marrom parecida com uma bolacha, ou ali tem alguma outra coisa?

Primeiro, a ração de gatos é exclusiva para... Gatos! A ração de cachorros, ou outros mamíferos é bem diferente da ração de gatos. Isso acontece porque o organismo dos gatos é bem diferente do organismo de um cachorro, ou outros mamíferos.

Se o seu gato comer uma bolacha de cachorro, de vez em quando, ele não vai ficar doente. Porém, vai ficar desnutrido.

Pense: se você almoçar todo o dia salgadinhos sabor cebola, você será uma pessoa saudável?

Mas o que tem na ração, que é tão diferente assim?

Basicamente, na ração de gatos (e cachorros) há: carne, cereais, e amido ou gelatinas.

O que muda de ração para ração são as proporções, e as funções. Uma ração para gatos com sobrepeso será diferente de uma ração de filhotes. Uma ração para controle de glicemia é diferente de uma ração para controle de colesterol.

E aí, como você escolhe qual ração comprar? Vamos repetir o mantra do Senhor Gato?

“OM... PROCURE UM VETERINÁRIO... OM”.

Ração seca ou ração úmida?

Agora, imagine a situação: você foi ao veterinário, a doutora ou doutor disse que seu bichano está bem. Agora, você irá comprar ração.

Qual escolher? Ração seca ou úmida? E o que é uma ração seca? O que é uma ração úmida?

A ração seca é, basicamente, uma bolacha. A úmida, um patê. Como tudo na vida, elas têm vantagens e desvantagens, e é importante você ponderar todos os pontos antes de optar por uma ou outra. Mas, médicos veterinários, quase sempre vão recomendar você comprar as duas. Vejamos.

Ração seca: vantagens

A vantagem da ração seca é seu custo-benefício. Como elas são “bolachas”, elas são vendidas em uma quantidade maior. Além disso, podem ficar mais tempo na tigela, porque são grãos secos.

Isso as torna mais fáceis de armazenar (e descartar, quando começam a estragar).

Além disso, elas grudam menos nos dentes. Então, a higiene dos gatos fica mais fácil.

Ração seca: desvantagens

Como elas são secas, são mais duras. Isso pode ser um problema para gatos muito jovens (que estão trocando a dentição) ou muito idosos (que perderam os dentes).

Outra coisa, é que sua consistência, seca, pode desagradar ao paladar de alguns gatos, ou mesmo dar uma leve indigestão – mas isso não é comum.

Ração úmida: vantagens

A maior vantagem da ração úmida é sua consistência. Como ela parece um patê ou creme/caldo de carnes, os gatos comem elas com muito mais gosto.

Outra coisa boa é que, por serem úmidas, não só alimentam os gatos. Ela também podem ser uma fonte de hidratação.

Ração úmida: desvantagens

A maior desvantagem da ração úmida é que ela estraga muito rápido, justamente por ser um alimento imerso em um caldo. Assim, se o seu gato não comer ela naquele momento, provavelmente você terá de jogar tudo fora.

E isso é um problema não só pelo desperdício de comida. O custo (elas costumam vir enlatadas, pra durar mais) pode pesar um pouco. E como elas não duram muito depois de abertas, um pote de ração úmida é bem menor do que um de ração seca.

Assim, como você pode ver, o mais importante é você alimentar seu gato. Não existe ração perfeita e o ideal (além de ir ao veterinário com frequência) é você ir equilibrando e variando a ração.

E para comprar rações com um preço muito mais em conta, acesse aqui, e escolha a loja de e-commerce mais perto de você!


O que achou de nosso artigo? Faltou falar de alguma coisa? Ficou alguma dúvida sobre ração de gatos? Tem alguma que você prefira? Alguma que você usou e gostou (ou não gostou)? Conte para nós nos comentários!

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva no nosso newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Continuar Lendo

Em Alta