Animais

Como educar seu gato? Veja 5 truques para te ajudar!

Muitos tutores de felinos têm dúvidas sobre como educar seu gato. Porém, existem truques para ajudar no sucesso dessa empreitada. Confira alguns!

por

Aline Mesquita

Publicado em

| Atualizado em

ANÚNCIOS

Saiba tudo sobre como educar seu gato corretamente

Como educar seu gato

Gatos são, muitas vezes, temperamentais e independentes. Porém, há como educar seu gato sem traumas e sem que isso demore uma eternidade. 

É claro que a paciência é indispensável. Contudo, os felinos se desenvolvem de maneira muito rápida. Do mesmo modo, tendem a aprender de forma veloz. Assim, com alguns truques você pode ensiná-lo bons comportamentos.

Muitas vezes o gato pode estar com comportamentos ruins em razão de estresse ou medo. Igualmente, por estar se adaptando em um novo local. Outra possibilidade, bem natural, diz respeito à tenra idade.

Existem soluções para todas essas ocasiões. Também, para os inúmeros comportamentos negativos que podem surgir nelas. Seja em relação à higiene e uso da caixa de areia ou ao ataque aos móveis, tudo tem jeito.

Para ver as soluções para o comportamento do seu gato, continue lendo. Abaixo, você encontra diversas dicas efetivas para cuidar do seu gatinho ao mesmo tempo em que o disciplina. Assim, a convivência pode ser harmoniosa e divertida.

Como educar um gato da melhor forma?

A melhor forma de educar um felino é, com certeza, à base da paciência, cuidados e muito carinho. Isso não significa, contudo, que você não deva ser firme. Isso é essencial para que o seu gato entenda que você não está brincando e que o comportamento não é bem-vindo.

Contudo, jamais recorra à violência. Isso tende a afastar o bichano de você. Conquistar a confiança de um gato é um passo muito importante para educá-lo. E, também, para o bem-estar da relação de vocês, é claro.

Como educar um gato para não repetir comportamentos nocivos

Educação felina

Existem alguns cuidados que são essenciais para ensinar o seu gato. A disciplina dele requer atenção em certos pontos. Por exemplo, você deve demonstrar para ele quando algo não é legal. Para isso, não use seu tom de voz normal. Deixe-o mais ríspido.

Ainda, lembre-se de sempre dizer “não” ao flagrá-lo fazendo alguma dessas ações indesejadas. Aqui, uma ressalva muito importante: O seu gato somente irá aprender caso a repreensão ocorra no momento do ato negativo.

Ou seja, de nada adianta você repreendê-lo após o ato. Ele não saberá sobre o que você se refere. Igualmente, não saberá o que não deve fazer. Por isso, caso o seu gato somente apronte quando você estiver longe, isso poderá ser um obstáculo.

Nesse caso, simule um período fora. Por exemplo, fique por um tempo em um cômodo, com a porta fechada. Assim, surpreenda seu felino quando ele estiver dando aquela deslizada. Ao fazê-lo, recorra ao “não” em tom firme. Se preciso, empurre-o de leve. Com isso, ele compreende que aquele comportamento é errado. 

Conteúdo Recomendado

Cuidados com gatos filhotes: O que você deve saber

Acabou de adicionar um gatinho filhote em sua família? Descubra tudo que você deve saber sobre veterinário, alimentação e muito mais!

Como educar um gato para usar a caixa de areia

Aqui, você deve ver se a sua casa tem adaptações pra o seu felino. Afinal, você deve ter em mente que o gato depende de algumas estruturas para que ele consiga se adaptar. Por exemplo, caso ele tenha problemas com a caixa de areia e faça as necessidades fora dela, pela casa, analise:

  • A caixa fica em um local com privacidade e silêncio?
  • O gato tem livre acesso ao local em que a caixa de areia está?
  • Como está a higiene da caixa de areia? Ela está em dia com a limpeza?

Tudo isso impacta no uso da caixa de areia. Também, lembre-se de mostrar a ele, repitidas vezes, onde fica a caixa de areia. Por exemplo, ao adotá-lo, repita isso nos primeiros dias, ao acordar e após cada refeição felina.

Da mesma forma, caso ele comece a demonstrar esse comportamento após a vida adulta, analise as condições acima. Ainda, estude a possibilidade de alterar o local da caixa de areia.

Aprenda como educar seu gato com esses 5 truques 

Como educar seu gato

Por fim, separamos 05 truques especiais que irão ajudar na tarefa de como educar seu gato. Eles são simples, mas na prática fazem toda a diferença. Por isso, confira agora quais são eles e como disciplinar o seu felino!

Saiba comandos para gatos

Os gatos, assim como os cães, também respondem a comandos. Embora demorem mais para adotá-los, eles os aprendem. Basta um pouco de insistência e, claro, de paciência. Eles envolvem diversos comandos.

Por exemplo, ensine-o a buscar brinquedos. Ou, então, a sentar, deitar ou fazer um cumprimento com a pata (Hi-five!). Todos esses comandos pedem o auxílio de um estímulo, como um petisco. Contudo, após o aprendizado, o petisco não é mais necessário.

O seu gato passa a responder automaticamente aos comandos. Para ensiná-lo, basta repetir movimentos. Sente-o, deite-o ou coloque a pata dele na sua mão, por exemplo. Após, elogie-o e dê um petisco. Repita isso à exaustão!

Ensine o gato a não morder

Caso o seu gato morda, isso provavelmente é culpa sua. Brincadeiras na fase de filhotes com mordidas tendem a se repetir na idade adulta. Contudo, com mais força e maiores perigos. Por isso, não apóie esse tipo de comportamento desde a idade tenra.

Afaste a mão e diga “não” de forma firme sempre que isso ocorrer. Se necessário, dê um leve empurrão no bichano ou uma batidinha em seu nariz ou testa com a ponta dos dedos. Isso irá demonstrar para ele a negatividade do comportamento.

Acostume o gato a não subir em cima das coisas

Seu gato sobe nas coisas, tenta pegar seus alimentos e é o terror dos seus objetos de decoração? Então ensine-o a não subir nas coisas. Para isso, valha-se de um spray com água. Todas as vezes que flagrá-lo subindo onde não deve, espirre um pouco de água na face felina.

Eduque sem gritar ou bater no gato

Use o truque com spray ao invés de recorrer à violência. Outros truques envolvem conversar com o gato (comandos de “Não”) ou uma garrafa com grãos. Esse segundo caso é igual ao uso do spray de água, contudo assusta pelo barulho.

Conteúdo Recomendado

Como escolher uma areia de gato adequada?

Quem é tutor de gatos, sabe que a caixinha de areia dos gatos é uma das coisas mais importantes para quem tem esses bichanos em casa.

Redatora profissional e Analista de Sistemas, apaixonada pela escrita e pelo aprendizado! Especializada em Marketing de Conteúdo e SEO.

Gatos

As 10 raças de gato mais comuns do Brasil

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Foi-se o tempo que o cachorro era “o melhor amigo do homem”. Ou pelo menos, o único. Isso, porque, hoje ele divide esse posto com os gatos.

Desde 2019, o Brasil tem cerca de 139 milhões de pets, mas, o índice de crescimento maior foi entre eles, os gatos, com um aumento de 8%, contra 5% dos cãezinhos.

Isso significa que, apesar de ainda temos mais casas com cachorros, as pessoas estão adotando mais gatos.

E você, já pensou em adotar um?

Mas antes, você sabe quais são as 10 raças de gato mais comuns no Brasil sabe identificar cada uma delas? Aqui, listamos para você.

Angorá, persa, pelado... São tantas! Leia e se surpreenda com o primeiro lugar!

10. Sphynx ou Pelado

Raça inusitada, originária do gelado Canadá, foi registrada pela primeira vez em 1966.

Por sua aparência, foi apelidado de Sphynx (Esfinge) por se parecer com os antigos gatos egípcios.

Não é fácil de ser encontrada em criadouros do Brasil, mas está cada vez mais popular.

É bastante desajeitado e, apesar da aparência de agressivo, pela falta de pelos, é extremamente afetuoso, com crianças, inclusive.

Seu porte é médio (até 7 kg) e uma de suas (muitas características) são suas enormes orelhas.

09. Siberiano

Gato de grande porte (entre 9 e 10 kg), originária da Rússia e, possivelmente, a raça que deu origem a todos os gatos de pelo longo conhecidos hoje em dia.

Apesar de ser uma raça antiga, o gato siberiano só foi classificado como raça, nos anos 80.

Seus pelos enormes ajudam ele a aguentar as baixas temperaturas do norte da Europa, mas, mesmo assim, se tornou uma raça popular no Brasil.

É um gato com musculatura desenvolvida, e é extremamente paciente, inclusive com crianças, mas tem um temperamento calmo até demais.

08. Himalaia

Raça que é cruzamento do gato siamês com outras, e tem como característica o rosto e as patas escuras e os pelos do corpo claros.

O gato himalaio é afetuoso e paciente com crianças, mas tem um comportamento inconstante.

Então, haverá dias que ele vai querer brincar por muitas horas, correr pela casa e mexer em tudo, e em outros ele vai passar um dia inteiro deitado, se mexendo quase nada.

Seus pelos, bem mais longos que o siamês, e fazem ele parecer maior do que é, mas em geral é de médio porte (entre 3 e 5 kg).

07. Angorá

Uma das raças de gatos mais conhecidas, o angorá, em geral, tem o olho esquerdo de cor diferente do direito e os pelos longos e amarelos ou brancos.

É de porte médio (até 5 kg), mas não deve ficar rechonchudo; por isso, é um gato que precisa escalar e se movimentar, então, deve ter arranhadores com vários andares e passagens, senão, pode ficar obeso ou até com depressão.

O gato angorá, geralmente, é surdo no ouvido do lado da cabeça com o olho azul, e isso é uma falha genética própria da raça.

06. Pelo Curto Inglês

É um gato musculoso, de porte médio 9até 7 kg) e tem suas formas mais arredondadas.

Uma das raças mais populares da Europa, e provavelmente, a mais antiga raça de pelo curto do mundo, o gato inglês de pelo curto costuma ser escalado para filmes, comerciais e fotografias publicitárias por ser tranquilo.

Gosta de brincar, mas não demanda atenção constante, e muitas vezes, gosta de brincar sozinho, sendo ideal para pessoas que moram só, ou em uma casa com poucos moradores.

05. Persa

Raça de gatos de tamanho médio (até 6 kg), conhecida por ter seu rosto mais achatado, e pelos longos.

Originária do Irã, são animais tranquilos e afetuosos, de forma que são ideais para casas com crianças pequenas.

O gato persa é uma raça caseira, que gosta de brincadeiras tranquilas, mas geralmente prefere ficar horas descansando no sol.

Como é uma raça sem instintos selvagens fortes, exige que sua caixa de areia esteja sempre limpa.

04. Maine coon

Uma das mais populares raças de gato dos Estados Unidos.

É maior raça do mundo (em média pesando 11 kg), e é conhecida por seus pelos longos e suas orelhas com um tufo na ponta, parecidas com a dos linces.

Extremamente inteligente, afetuoso, mas sem excessos, gosta de interagir com sua família, mas evitam contatos com estranhos.

Aprendem truques com facilidade, e diferente de outras raças de gatos, adoram brincar na água, mas os pelos longos dão trabalho, porque exigem a escovação diária.

Gosta de gatos grandes? Confira aqui as 10 maiores raças do mundo!

03. Siamês

Uma das raças de gato mais conhecidas em todo o mundo, sua aparência é característica: pelos mais claros, e patas e rosto mais escuros.

Os olhos, na grande maioria das vezes, de um azul intenso também chamam a atenção.

O siamês tem um porte médio (até 6 kg) e um comportamento afetuoso com crianças e seus donos, e a raça aprende truques com facilidade.

Por outro lado, siameses são extremamente curiosos e, às vezes, podem ser rebeldes, por quererem explorar o ambiente, então, exigem donos atentos.

02. Pelo Curto Americano

A raça mais popular do Estados Unidos, os gatos de pelo curto americano são, geralmente, acinzentados, com listras pretas, e grandes olhos verdes. São de porte médio (até 6 kg), de comportamento afetuoso e tranquilo e muito apegados aos donos.

Por outro lado, são gatos independentes, que conseguem se distrair sozinhos.

Assim, podem viver bem em casas com poucas pessoas, mas sua musculatura forte faz com que ele exija ter arranhadores e brinquedos diferenciados para gastar sua energia, e evitar a obesidade.

01. Pelo Curto Brasileiro

Raça brasileira reconhecida internacionalmente apenas em 1998, é o que se pode chamar um “gato comum”, por ser resultado do cruzamento de várias raças e, por não ter um diferencial na sua aparência.

Tem pelo curto, geralmente, branco no abdômen e porte médio (até 6 kg), mas sua musculatura e sua capacidade de resistir a doenças e outros problemas próprios do ambiente brasileiro fazem a raça ser única.

Suas origens remontam às navegações, quando eram trazidos pelos portugueses, nos navios, para caçarem ratos e, uma vez na terra, eram largados nas ruas.

Por esses motivos, seu comportamento pode ser um pouco imprevisível, porém, os gatos de pelo curto brasileiro são sempre afetuosos e pacientes com seus donos.

É uma raça que se adapta muito bem a apartamentos de qualquer tamanho e, diferente da maioria dos felinos, consegue conviver tranquilamente com outros animais – inclusive cães.

E então? O que você achou dessa lista? Sentiu falta de alguma raça?

Reconheceu os traços do seu gato, nas raças descritas aqui?

Escreva para nós, contando!

E assine nossa newsletter para não perder mais nenhuma postagem!

Continuar Lendo

Em Alta