Sem Categoria

Bola de pelo: se lamber e ingerir pelos é prejudicial?

por

Senhor Gato

Publicado em

| Atualizado em

Olhar para uma bola de pelo pode ser algo agoniante, inclusive limpá-la não parece ser tão agradável assim. Só de pensar que aquilo saiu de dentro do seu gato já dá calafrios.

Porém, é um problema comum em gatos, principalmente aqueles bem fofinhos, cheios de pelos.

Por mais comum que seja, é importante ficar de olho, pois podem causar bloqueio intestinal, o que pode se tornar um sério problema de saúde para o seu animalzinho.

Gato se limpando
Hora da limpeza!
ANÚNCIOS

O que é uma bola de pelo?

Quando um gato se auto limpa e começa a sem lamber inteiro, ele está removendo todos os pelos soltos no seu corpo.

Sua língua é áspera, possui minúsculas estruturas que vão apanhando os fios soltos e mortos da sua pelagem e, consequentemente, são engolidos.

A maior parte desses pelos passam por todo o trato gastrointestinal sem nenhum problema. Mas, de vez em quando, podem se acumular no estômago, formando uma bola de pelo.

Quando isto acontece, a região de saída do estômago fica bloqueada. Dessa maneira, a comida não consegue ser digerida e é expelida por meio de vômito.

Seu gato irá vomitar a bola de pelo que se formou no estômago, podendo também ser uma mistura de pelo com comida semi-digerida.

bola de pelo
Gato com sinais de engasgo e vômito

As raças de pelo longo são as mais suscetíveis às bolas de pelos. Além disso, gatos que perdem muito pelo ou que se limpam compulsivamente têm maior probabilidade de sofrer com bolas de pelos, pois acabam engolindo muitos fios.

Quando a bola de pelo se torna um problema sério?

O intestino dos gatos é preparado para processar pelos, tanto próprios quanto de presas.

Portanto, não é comum observarmos uma frequência alta de bolas de pelos em um gato saudável.

Em situações normais, todo pelo ingerido deveria ser eliminado pelas fezes.

Entretanto, em estações de troca de pelagem (primavera e outono) e no caso de gatos mais peludos, é comum esperar que o felino elimine oralmente até uma bola de pelo por semana.

Caso note uma frequência anormal de bolas de pelos ou os sintomas abaixo, contate o veterinário de confiança, pois estes podem indicar que seu gato está com algum bloqueio ameaçando sua saúde:

  • Vômito, engasgo, ânsia ou tosse de maneira contínua e sem produção de bola de pelo;
  • Falta de apetite;
  • Apatia;
  • Desconforto abdominal;
  • Constipação.

Se o seu gato apresentar qualquer um destes sinais de maneira repetitiva por mais de 24 horas, leve-o ao especialista.

Além de orientação, pode ser necessário um tratamento específico, como a remoção cirúrgica destes pelos.

Como prevenir?

Gatos são animais muito limpos, que possuem o hábito de se auto higienizarem.

Como dito anteriormente, é um processo natural dessa espécie, portanto não há como evitar totalmente que o seu bichinho vá produzir bolas de pelos.

Existem ações que os donos podem fazer para reduzir a probabilidade de tê-las ou sua frequência.

  • Limpe seu gato com frequência. Quanto mais pelo você remover do seu gato, menos fios ele irá engolir quando se auto limpar, evitando acúmulo no seu estômago. Escovar o seu animalzinho frequentemente, além de ajudá-lo, pode se tornar uma maneira divertida de se conectar com ele. Não esqueça também de realizar tosas frequentes.
  • Forneça nutrientes adequados. Já é possível encontrar comidas que auxiliam na redução de bolas de pelos. São fórmulas com alto teor de fibras desenvolvidas não só para melhorar a saúde da pelagem, como também a do intestino. Evitam que o pelo não seja corretamente digerido.
Comida anti-bola de pelo
Comida anti-bola de pelo
  • Utilize produtos específicos ou laxantes. Existem diversos produtos disponíveis para auxiliar com as bolas de pelos. A maioria dos quais são laxantes leves que ajudam as bolas de pelos a passarem pelo trato digestivo.
  • Suspeite de limpeza excessiva. Caso você note que as bolas de pelos são decorrentes de limpeza compulsiva do seu bichinho, procure entretê-lo com outras coisas. Brinquedos, exercícios, entre outros, tudo o que o estimule a se movimentar e tirar sua atenção da higiene.

Em resumo, por mais que uma bola de pelo seja natural, sua presença recorrente pode indicar que seu gato não está saudável.

Preste atenção nos sinais do seu gato.

Qualquer aumento na frequência, procure seu veterinário.

Gatos

As 10 raças de gato mais comuns do Brasil

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Foi-se o tempo que o cachorro era “o melhor amigo do homem”. Ou pelo menos, o único. Isso, porque, hoje ele divide esse posto com os gatos.

Desde 2019, o Brasil tem cerca de 139 milhões de pets, mas, o índice de crescimento maior foi entre eles, os gatos, com um aumento de 8%, contra 5% dos cãezinhos.

Isso significa que, apesar de ainda temos mais casas com cachorros, as pessoas estão adotando mais gatos.

E você, já pensou em adotar um?

Mas antes, você sabe quais são as 10 raças de gato mais comuns no Brasil sabe identificar cada uma delas? Aqui, listamos para você.

Angorá, persa, pelado... São tantas! Leia e se surpreenda com o primeiro lugar!

10. Sphynx ou Pelado

Raça inusitada, originária do gelado Canadá, foi registrada pela primeira vez em 1966.

Por sua aparência, foi apelidado de Sphynx (Esfinge) por se parecer com os antigos gatos egípcios.

Não é fácil de ser encontrada em criadouros do Brasil, mas está cada vez mais popular.

É bastante desajeitado e, apesar da aparência de agressivo, pela falta de pelos, é extremamente afetuoso, com crianças, inclusive.

Seu porte é médio (até 7 kg) e uma de suas (muitas características) são suas enormes orelhas.

09. Siberiano

Gato de grande porte (entre 9 e 10 kg), originária da Rússia e, possivelmente, a raça que deu origem a todos os gatos de pelo longo conhecidos hoje em dia.

Apesar de ser uma raça antiga, o gato siberiano só foi classificado como raça, nos anos 80.

Seus pelos enormes ajudam ele a aguentar as baixas temperaturas do norte da Europa, mas, mesmo assim, se tornou uma raça popular no Brasil.

É um gato com musculatura desenvolvida, e é extremamente paciente, inclusive com crianças, mas tem um temperamento calmo até demais.

08. Himalaia

Raça que é cruzamento do gato siamês com outras, e tem como característica o rosto e as patas escuras e os pelos do corpo claros.

O gato himalaio é afetuoso e paciente com crianças, mas tem um comportamento inconstante.

Então, haverá dias que ele vai querer brincar por muitas horas, correr pela casa e mexer em tudo, e em outros ele vai passar um dia inteiro deitado, se mexendo quase nada.

Seus pelos, bem mais longos que o siamês, e fazem ele parecer maior do que é, mas em geral é de médio porte (entre 3 e 5 kg).

07. Angorá

Uma das raças de gatos mais conhecidas, o angorá, em geral, tem o olho esquerdo de cor diferente do direito e os pelos longos e amarelos ou brancos.

É de porte médio (até 5 kg), mas não deve ficar rechonchudo; por isso, é um gato que precisa escalar e se movimentar, então, deve ter arranhadores com vários andares e passagens, senão, pode ficar obeso ou até com depressão.

O gato angorá, geralmente, é surdo no ouvido do lado da cabeça com o olho azul, e isso é uma falha genética própria da raça.

06. Pelo Curto Inglês

É um gato musculoso, de porte médio 9até 7 kg) e tem suas formas mais arredondadas.

Uma das raças mais populares da Europa, e provavelmente, a mais antiga raça de pelo curto do mundo, o gato inglês de pelo curto costuma ser escalado para filmes, comerciais e fotografias publicitárias por ser tranquilo.

Gosta de brincar, mas não demanda atenção constante, e muitas vezes, gosta de brincar sozinho, sendo ideal para pessoas que moram só, ou em uma casa com poucos moradores.

05. Persa

Raça de gatos de tamanho médio (até 6 kg), conhecida por ter seu rosto mais achatado, e pelos longos.

Originária do Irã, são animais tranquilos e afetuosos, de forma que são ideais para casas com crianças pequenas.

O gato persa é uma raça caseira, que gosta de brincadeiras tranquilas, mas geralmente prefere ficar horas descansando no sol.

Como é uma raça sem instintos selvagens fortes, exige que sua caixa de areia esteja sempre limpa.

04. Maine coon

Uma das mais populares raças de gato dos Estados Unidos.

É maior raça do mundo (em média pesando 11 kg), e é conhecida por seus pelos longos e suas orelhas com um tufo na ponta, parecidas com a dos linces.

Extremamente inteligente, afetuoso, mas sem excessos, gosta de interagir com sua família, mas evitam contatos com estranhos.

Aprendem truques com facilidade, e diferente de outras raças de gatos, adoram brincar na água, mas os pelos longos dão trabalho, porque exigem a escovação diária.

Gosta de gatos grandes? Confira aqui as 10 maiores raças do mundo!

03. Siamês

Uma das raças de gato mais conhecidas em todo o mundo, sua aparência é característica: pelos mais claros, e patas e rosto mais escuros.

Os olhos, na grande maioria das vezes, de um azul intenso também chamam a atenção.

O siamês tem um porte médio (até 6 kg) e um comportamento afetuoso com crianças e seus donos, e a raça aprende truques com facilidade.

Por outro lado, siameses são extremamente curiosos e, às vezes, podem ser rebeldes, por quererem explorar o ambiente, então, exigem donos atentos.

02. Pelo Curto Americano

A raça mais popular do Estados Unidos, os gatos de pelo curto americano são, geralmente, acinzentados, com listras pretas, e grandes olhos verdes. São de porte médio (até 6 kg), de comportamento afetuoso e tranquilo e muito apegados aos donos.

Por outro lado, são gatos independentes, que conseguem se distrair sozinhos.

Assim, podem viver bem em casas com poucas pessoas, mas sua musculatura forte faz com que ele exija ter arranhadores e brinquedos diferenciados para gastar sua energia, e evitar a obesidade.

01. Pelo Curto Brasileiro

Raça brasileira reconhecida internacionalmente apenas em 1998, é o que se pode chamar um “gato comum”, por ser resultado do cruzamento de várias raças e, por não ter um diferencial na sua aparência.

Tem pelo curto, geralmente, branco no abdômen e porte médio (até 6 kg), mas sua musculatura e sua capacidade de resistir a doenças e outros problemas próprios do ambiente brasileiro fazem a raça ser única.

Suas origens remontam às navegações, quando eram trazidos pelos portugueses, nos navios, para caçarem ratos e, uma vez na terra, eram largados nas ruas.

Por esses motivos, seu comportamento pode ser um pouco imprevisível, porém, os gatos de pelo curto brasileiro são sempre afetuosos e pacientes com seus donos.

É uma raça que se adapta muito bem a apartamentos de qualquer tamanho e, diferente da maioria dos felinos, consegue conviver tranquilamente com outros animais – inclusive cães.

E então? O que você achou dessa lista? Sentiu falta de alguma raça?

Reconheceu os traços do seu gato, nas raças descritas aqui?

Escreva para nós, contando!

E assine nossa newsletter para não perder mais nenhuma postagem!

Continuar Lendo

Em Alta