Animais

10 dicas de ouro de como cuidar de um filhote de gato

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Imagine a cena, você sempre quis adotar um gato; então você vai até o centro de adoção mais próximo, e chegando lá, o que vê? Filhotes! Pronto, agora sua dificuldade é apenas escolher qual daquelas bolotas de pelos vai ser o mais novo morador de sua casa.

O que muita gente não sabe, porém, é que criar um gatinho é bem mais do que só ensinar a fazer xixi na areia, e tomar cuidado pra ele não cair no vão do sofá.

Pense comigo: você conhece o calendário de vacinas felinas sabe qual a ração correta? Sabe quando seu amiguinho vai trocar os pelos e os dentes?

Falando assim, parece muita coisa. Porém, são detalhes que, com dedicação, você aprende rapidinho. E depois, seu gato vai crescer tão rápido, que ensinar tudo de novo, vai até dar saudades. Confira!

ANÚNCIOS

10. Como montar o espaço do seu filhote de gato?

O filhote de gato é, como todo filhote, uma coisinha inocente, e cheia de curiosidade sobre o mundo. Então, ele vai chegar à sua casa, ávido para descobrir sobre tudo quanto for possível.

Pense só: ele não sabe que as lâmpadas queimam, não sabe que vasos caem no chão e quebram, não sabem que sua almofada de seda não serve para ser mordida…

É um mundo novo para ele. Então, você precisa preparar o espaço para seu filhote de gato e, principalmente, ficar próximo do gatinho, para ele não se machucar.

Colocar telas nas janelas, afastar plantas (e não ter nenhuma venenosa), também é primordial. Criar “esconderijos” e “desafios” com caixas e tábuas de arranhar também fará muito bem ao seu filhote.

Por outro lado, ter brinquedos e arranhadores diversificados vai ajudar seu filhote a desenvolver autonomia, autoconhecimento e confiança.

Autoconhecimento, no caso, é ele saber e entender logo seus limites físicos, suas habilidades, e suas preferências. E claro, ter a caixinha (ou as caixinhas) de areia em lugares estratégicos e de fácil acesso.

09. Ensinando seu filhote de gato a fazer xixi

Justamente por ser um filhote, seu gatinho são saberá o que é fazer xixi ou cocô na areia. Se ele for um pouco mais velho, provavelmente terá visto a mãe fazendo, e, assim, já terá alguma noção.

Mas se o filhote for bem jovem, quem vai ensinar é você. Então, algumas dicas são essenciais.

A primeira é ter pelo menos duas caixas de areia, para seu gato. Às vezes, o gato faz xixi num canto e cocô no outro, então, é importante você considerar isso, no treinamento. E ainda, ter as caixas sempre limpas.

A segunda dica é limitar o acesso do seu gato. Se ele já souber desde pequeno, onde não pode ir, isso vai facilitar na hora de ele escolher onde fará suas necessidades.

Outras coisas, como limpar os dejetos na mesma hora – para o gato não conseguir sentir seu cheiro de novo, e então não achar que pode fazer cocô ali sempre –, e colocar estratos ou folhas secas de plantas que seu gato não gosta, no local, podem ajudar.

Mas a primeira regra: incentive o uso da caixa de areia.

08. Os dentes e as unhas do filhote de gatos

Muita gente não sabe, mas gatos também têm dentes de leite. Eles caem ao longo do primeiro ano de vida dos filhotes, mesmo assim, eles devem ser escovados.

Para isso, procure uma escova e uma pasta própria para pets na loja especializada de sua confiança.

Já em relação às unhas, elas devem ser cuidadas para não encravar e não crescer demais. Arranhadores ajudam a desgastar as unhas velhas, mas limpar, lixar e cortar é importante, para manter a higiene do bichano.

Condicionar seu gato a esses rituais, desde a infância deles, é importante, para que eles cresçam adultos saudáveis, e não estranhem você fazendo os atos de limpeza.

Para mais dicas sobre as unhas dos gatos, acesse nosso artigo exclusivo sobre essa parte do corpo dos felinos.

07. A dieta do filhote de gato

Um filhote de gato, ao contrário do que muita gente pensa, não pode beber leite. Pelo menos, não o leite de vaca. Apenas o de sua mãe.

O desmame, normalmente, acontece de forma natural, e no tempo do gato. Porém, o gato deve ser estimulado a consumir comida felina, desde cedo.

É importante consultar o veterinário, antes de comprar qualquer ração, porque às vezes, seu gato tem alguma doença ou condição que exige um cuidado maior na alimentação.

Mas, nesses primeiros meses de vida, principalmente, evite que seu gato coma qualquer coisa que não seja a ração. Assim, você evita desnutrições e baixas no sistema imunológico dele.

Confira aqui alguns sites com promoções de ração.

06. A pelagem de um filhote de gatos

Quando você adotar um filhote de gato, acostume ele com o ritual da escovação de pelos. Você pode pedir para o petshop fazer isso, mas não é uma coisa difícil.

É importante você usar uma escova de cerdas macias, e de um material antialérgico (nas lojas especializadas há diversas opções).

Isso impede a formação de nós, o acúmulo de sujeira, e bolas de pelos – que vão surgira, mas serão menos frequentes, com a escovação correta.

Lavar os pelos do gato também é essencial. Para isso, procure produtos de higiene próprios para gatos.

Cuidar de seu gato é, também, cuidar de seus pelos.

05. Vacinas e doenças do filhote de gatos

Filhotes de gatos, como crianças, precisam ser imunizadas contra doenças, nos primeiros anos de vida.

Cinco doenças, especificamente, então nos calendários de vacinação de gatos. São a Chlamydia felis, a Calicivirose, a Doença da arranhadura, a gripe felina e a Panleucopenia felina.

Além disso, a leucemia felina e a raiva também são evitáveis pela vacinação.

Quando você vacina seu filhote, você, inclusive, evita que outros gatos da casa, eventualmente, se contaminem (e vice-e-versa).

Além disso, é importante que seu gato seja vermifugado, e esteja sem pulgas e carrapatos, que podem contaminar, inclusive, os humanos da casa.

Leia mais sobre vacinas e doenças aqui. Porém, não se esqueça: todas as orientações de vacinação devem ser dadas pelo veterinário.

04. Impondo limites ao seu filhote de gatos

Impor limites não significa oprimir seu filhote de gato. É simplesmente fazer ele entender que há lugares da casa aos quais ele não pode ir, e coisas que não pode fazer.

Lugares das necessidades, alimentos, horários para dormir, comer e brincar… São coisas simples que seu gato, por ser um animal doméstico, precisa aprender.

Para isso, é importante que o filhote de gato tenha vários brinquedos, para ele não se entediar.

Além disso, você pode tentar sprays educadores, vendidos em petshops. Com eles, você espirra um pouco da essência perfumada no local a ser evitado, acostumando seu gato.

03. O filhote de gatos e outros animais da casa

Se você já for o tutor de outros animais, antes de colocar um filhote de gato em sua vida, veja bem seus amigos antigos: será que eles vão gostar de um novo ser, nas suas vidas?

A pergunta é simples, porque há animais (algumas raças de cães, gatos mais idosos) que simplesmente não suportariam essa ideia. Assim, ter um filhote em casa vai ser uma tremenda dor de cabeça. E às vezes, o pior pode acontecer (com o filhote).

Mas, se você perceber não há problemas, adote o filhote. Mas tenha ciência: seu gato mais velho vai se sentir invadido, e, a principio, ficará meio relutante com o novato. Então, crie o espaço do gato novo, longe do espaço do gato velho. E não mude seu comportamento com o antigo, por causa do novo.

Aumente a quantidade de brinquedos, caixas de areia e arranhadores, também. Adotar um gato novo, é acrescentar gastos novos, e considerar isso é importante. Seu gato velho não vai aceitar um ser diferente fazendo xixi na caixa dele, por exemplo.

02. Castrando o filhote de gato

Castrar um gato é extremamente importante.

Primeiro, isso vai reduzir consideravelmente comportamentos de influência hormonal (como agressividade).

Gatos com seus órgãos sexuais ficam mais propensos a terem um comportamento nervoso.

As gatas, por estímulo hormonal, ficam inquietas, no período do cio. Já os gatos, esses ficam aflitos quando sentem os odores de uma gata no cio, e muitos escapam de casa, nesses dias.

O segundo ponto a favor da castração é no que se refere a doenças.

Canceres, inflamações e afins podem ser evitados com esse procedimento. E, ao contrário do que muitas pessoas falam, ele pode ser feito no Centro de Controle de Zoonoses municipal, de graça.

Apenas se atente para a época. O veterinário poderá dizer o período mais adequado para seu filhote. Mas, em geral, a partir dos 6 meses já é recomendável.

Terceiro, as gestações de um gato são rápidas. Às vezes você prefere esperar um ano, acontece um “acidente” e então sua gata emprenha-se de 12 filhotes… E aí, o que você fará?

Mesmo se você quer ter um gatil, saiba que cada ano, pelo menos 10 gatinhos novos vão nascer,

01. Quando adotar um filhote de gato

A dica mais importante é saber quando o gato pode ser adotado. Criar um filhote é tudo de bom, mas deve ser na época certa. O melhor é você esperar cerca de 60 dias, para afastar o filhote e a mãe.

Seja por saúde, por hábitos, por alimentação… Gatos muito novos vão requerer muito mais cuidados, uma vez que, para eles, tudo é novo.

Assim, é importante adotar apenas de gatis reconhecidos e qualificados. Criadores de “fundo de quintal”, normalmente, não cuidam da mãe de forma adequada, nem dos filhotes, cobrando taxas veterinárias abusivas.

Em outras palavras, eles vendem o filhote, inventando gastos que não existem.

Para evitar isso, você pode procurar mais informações no Clube Brasileiro do Gato.


E você, já teve um filhote? Como foi sua experiência? Ficou alguma dúvida? Tem alguma sugestão? Conte para nós nos comentários.

E, para não perder mais nenhuma postagem do Senhor Gato, se inscreva na nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossos conteúdos!

Escritor e professor. Escreve sobre literatura, poesia, animais, filmes, séries e demais coisas de cultura. Já publicou dois livros de poesia e logo publica mais um.

Gatos

10 gatos famosos da TV e do Cinema

por

Lucas Silva

Publicado em

| Atualizado em

Que os gatos são as estrelas da nossa casa, isso ninguém duvidava. O que pouca gente lembra é que na TV e no cinema, gatos também arrasam! E que aqui não estamos falando só do Tom e do Frajola, os “vilões” dos desenhos, ou do Garfield, o gato gordo, faminto e comilão mais famoso de todos.

Quem não lembra do Gato Félix? Ou do gato da Alice? Dos aristogatas? Sem falar naquele que é “coisa nossa”, o Mingau! Então, confira abaixo 10 gatos inesquecíveis da TV e do Cinema. Aposto que você não descobre quem é o número 1!

10. Gato Felix

Um dos gatos mais populares de todos os desenhos, o Gato Félix nasceu em 1919, pelas mãos de Otto Messmer e Pat Sullivan, e sua popularidade foi tão grande, que suas bilheterias equivaliam às de filmes com atores.

Conhecido por viver situações inusitadas e até surreais, uma das características de Félix é transformar sua cauda em todo o tipo de ferramenta, ou então, abrir sua bolsa amarela e de lá tirar todo o tipo de objeto para solucionar seus problemas.

Ainda sendo produzido, o Gato Félix tem uma legião de fãs, que a cada geração se transforma e renova.

09. Manda-Chuva

Manda-Chuva é um dos desenhos mais populares dos estúdios Hannah-Barbera, apesar de ter apenas 30 episódios.

O programa continua sendo reprisado em canais do mundo todo. Nele, vemos as histórias do gato amarelo e malandro, do título e sua gangue, em meio a planos mirabolantes para ganharem dinheiro fácil, enquanto driblam a vigilância do Guarda Belo.

O protagonista, dublado por Lima Duarte, tinha como escudeiros, Xuxu, Bacana, Espeto, Gênio e o adorável Batatinha, quase tão popular quanto a personagem principal.

08. Os aristogatas

Um dos mais populares filmes da Disney, teria sido o último a receber aval direto do próprio Walt Disney (que morreu em 1966).

O filme, lançado apenas em 1970, conta a história da gata francesa Duquesa e seus filhotes, Berlioz, Toulouse e a muito conhecida Marie (ainda hoje, estrela principal em milhares de produtos infantis da Disney), que, sendo sequestrados e jogados num rio pelo invejoso mordomo Edgar, precisam voltar para casa. Para isso, os quatro contam com a ajuda do boêmio gato Thomas O’Malley, que vai guiando o grupo por Paris dos anos 20.

Com uma trilha sonora repleta de jazz, o filme tem algumas das mais populares canções da Disney, como aquela que diz “Todo mundo quer a vida que um gato tem”.

07. Mingau

O mais popular gatinho dos desenhos brasileiros, o gato da personagem Magali conquista leitores e fãs dos desenhos da Turma da Mônica desde 1989.

Um perfeito gato caseiro, Mingau gosta de passear pela rua, mas não recusa o colo de sua dona, e os mimos que a menina lhe oferece. Às vezes, se metendo em confusões (como fazer xixi onde não deve, arranjar briga com outros gatos), mas o fato é: a Turma da Mônica não é completa sem ele!

É um bichano tão querido entre os leitores que até na Turma Mônica Jovem e no filme da Turma da Mônica com atores ele aprece. Uma estrela do Brasil!

Adotou um gato e não sabe que nome dar a ele? Confira aqui algumas sugestões superdivertidas e originais!

06. Gato de Cheshire

O famoso “Gato da Alice”, tem algumas versões, incluindo a da Disney, de 1951, onde seu pelo é cor-de-rosa e seu temperamento é meio de bobalhão, e a de 2010, de Tim Burton, onde o gato é misterioso e um pouco sarcástico.

O gato, personagem do livro de Lewis Carroll, teria sido inspirado em diversas pessoas, como pastores e acadêmicos, e sua inspiração enquanto criatura, teria vindo de pinturas medievais mostrando um gato sorridente, que Carroll, pesquisador de obras antigas, teria descoberto.

05. Fígaro

Gato que apareceu pela primeira vez no filme Pinochio da Disney, em 1940, e depois em vários desenhos, contracenando com a Minnie, o Pluto outras personagens.

Fígaro é um adorável e insistente filhote branco e preto que, no longa do menino de madeira, vive uma relação de tapas e beijos com a peixinho dourada Cléo. Nos episódios com Minnie, Fígaro continua curioso e teimoso, por isso mesmo, superfofo. Um astro da Disney!

04. Lúcifer

Gato do filme Cinderela de 1950, como o próprio nome diz, é um gato mal. O que ele pode fazer para arruinar os planos de Cinderela ou de seus amigos, ele faz. Parte das cenas em que Lúcifer aparece, vemos os ratinhos Jaq e Tata fugindo dele.

O único que pode com ele, no reino animal, é o cachorro Bruno. Mesmo assim, suas maldades são marcadas por seu comportamento desajeitado e atrapalhado.

Assim, ao invés de ficarmos bravos com ele (ok, nós ficamos um pouco), nós rimos. No fundo, Lúcifer é um gato fofucho, e a gente sabe disso.

Marina Ruy Barbosa, Ernest Hemingway, Winston Churchil: conheça alguns do mais famosos fãs de gatos do mundo!

03. Gato

O gato sem nome de Bonequinha de Luxo, clássico de 1961 do cinema americano estrelado por Audrey Hepburn (como a socialite Holly). ATENÇÃO PARA O SPOILER: a parte boa é no fim do filme Holly adota o gato e descobre o amor. Um símbolo tão pequeno quanto um gato, mas tão especial para nós, que entendemos o que ter um gato (e dar um nome para ele) significa!

O que pouca gente sabe é que o gato do filme foi uma das maiores celebridades animais de Hollywood. Isso porque Orangey (“Laranjinha”) era extremamente requisitado para todo tipo de série e filme gravado naqueles estúdios.

Quando o filme foi lançado, Orangey já tinha – acredite – 10 anos de carreira, no cinema e na TV, incluindo um papel de protagonista, no filme Rhubarb de 1951, onde um gato herda a presidência de um time de baseball de seu dono excêntrico.

Quando morreu, provavelmente, em 1967, Orangey foi enterrado no Forest Lawn Memorial Park, um cemitério onde estão vários artistas e profissionais do cinema.

Um verdadeiro astro!

02. Salém

O gato preto e sarcástico da bruxa adolescente Sabrina (estrelada por Melissa Joan Hart) fez a graça de muita gente que acompanhou a série ao longo de suas 7 temporadas, entre 96 e 2003, e nos anos seguintes, nas incontáveis reprises. No enredo, Salém é um bruxo que foi amaldiçoado a viver como gato, depois de ter arranjado confusões com uma feiticeira-mor.

Por isso, nós vemos um gato, mas o que ele fala são observações ácidas e irônicas sobre a vida, e as questões que Sabrina vive no seu dia-a-dia, na escola, com amigos etc.

Fato triste: na nova versão da série o Salém não fala!

01. Snowball

Snowball I

O gato da família amarela mais conhecida da TV, na verdade não foi só 1, mas vários. Bola-de-neve (em inglês, Snowball) foi o nome de 4 gatas, dos Simpsons em um total de 5. A primeira Snowball tinha o pelo branco, o que lhe deveu o nome, mas morreu logo na segunda temporada do desenho.

Snowball III

Já segunda Snowball tinha o pelo preto, e viveu por mais tempo, até a 15ª temporada quando ela sofre um acidente e morre, sendo substituída, no mesmo episódio, por Snowball III, que logo morre.

Então Snowball III é substituída pelo gato Coltrane (em homenagem ao saxofonista Joe Coltrane), que morre também antes do fim do episódio. Por fim, Lisa recebe de presente Snowball V, que é exatamente igual a Snowball II.

Snowball II (ou V?)

Isso motiva a menina a rebatizar a 5ª gatinha como Snowball II.

Atualmente, essa última, a gata que vemos até hoje, com muito mais sorte que suas antecessoras, porque escapa sempre das piores situações.


E aí, o que você achou da nossa lista? Sentiu falta de algum gato famoso da TV ou cinema? Escreva para nós nos comentários!

E para não perder mais nehuma postagem do Senhor Gato, se inscreva na nossa News letter e saiba tudo sobre gatos e outros animais interessantes! 

Continuar Lendo

Em Alta


Siga nas Redes Sociais

AVISO LEGAL

O Senhor Gato não solicita em nenhuma situação quantias em dinheiro para liberação de qualquer tipo de produto financeiro, seja cartão de crédito, financiamento ou empréstimo. Caso isto aconteça, nos avise imediatamente.

Trabalhamos para manter todas informações o mais atualizadas possível. Porém, vale ressaltar que essas informações podem divergir das informações encontradas nos sites de instituições financeiras e/ou de provedores de serviços de um site específico. Com relação a instituições com as quais não temos parceria: não garantimos a precisão e atualidade das informações. Lembre-se sempre de ler as condições de uso e termos de aquisição das instituições financeiras que você escolher. Recebemos uma pequena quantia das publicidades em nosso site e dos nossos parceiros quando indicamos um usuário que solicita algum produto ou proposta. Tudo que publicamos é baseado em avaliações quantitativas e qualitativas de cada produto. Vale ressaltar que nossos parceiros podem influenciar diretamente os produtos sobre os quais escrevemos e revisamos, e também sobre a ordem dos "melhores" artigos e posicionamento de produtos no Senhor Gato. Dada a quantidade de informações em nosso site, não fornecemos nenhum tipo de garantia sobre a qualidade e atualidade das informações; por isso, priorizamos informações de nossos parceiros.